Casares fala sobre Rodrigo Caetano no São Paulo: “Pretensão salarial muito alta”

Marcelo Baseggio - São Paulo,SP

04-01-2021 13:39:17

Rodrigo Caetano era o favorito para assumir a direção executiva de futebol do São Paulo após a definição de que Raí não permanecerá no cargo ao fim do Campeonato Brasileiro. Contudo, o novo presidente do clube, Julio Casares, fez questão de esfriar a possibilidade de o ex-dirigente do Internacional desembarcar no Morumbi.

“Quero dizer que há grandes profissionais, como o Rodrigo Caetano, um grande nome, profissional, mas tem uma pretensão salarial muito alta diante das nossas possibilidades. Temos que falar isso de forma aberta. É um grande profissional e quem sabe um dia ele possa estar no são Paulo”, afirmou Casares.


Além de Rodrigo Caetano, Thiago Scuro, diretor do Red Bull Bragantino, André Zanotta, hoje no FC Dallas, dos EUA, e Diego Cerri, do Bahia, são outros nomes que fazem parte da lista do São Paulo para a direção executiva de futebol.

Por enquanto, o quadro diretivo do futebol do São Paulo conta com Muricy Ramalho, novo coordenador de futebol e que terá a função de fazer o elo entre comissão técnica, jogadores, diretoria e presidência. Carlos Belmonte comandará todo o departamento, auxiliado por Nelson Ferreira e Fernando Chapecó, diretores adjuntos.

“Não posso, como mandatário do São Paulo, gastar mais que o orçamento prevê. Nesse momento, quem se encaixou foi o Muricy Ramalho e certamente teremos um diretor executivo na base e no profissional com o mesmo perfil. Não vamos poder sair contratando jogador de forma que comprometa nossa situação financeira. Nosso orçamento é o nosso Norte e temos que cumprí-lo”, prosseguiu.

Justamente pela falta de profissionais que aceitem assumir a diretoria executiva de futebol em tempos de grande austeridade financeira, Julio Casares foi questionado se não valeria a pena apostar na manutenção de Raí. A possibilidade, no entanto, foi descartada pelo novo presidente, que deixou em aberto uma nova função ao ídolo são-paulino.

“Estou atuando de forma muito intensa com o Raí e os demais colaboradores da Barra Funda. Agora, a questão de trabalhar com A, B ou C não é pontual. Não tenho dúvida que depois de ele tirar umas férias, ele vai nos ajudar talvez como embaixador na Europa, na França. Eu não faço pré-julgamento. É o conjunto da obra que deve ser avaliado. Não podemos avaliar um colaborador pelo insucesso de 30 dias ou pelo êxito de 30 dias. É o conjunto da obra que vai avaliar se ele é bom ou ruim”, concluiu.

Confira as 50 metas iniciais do governo de Julio Casares no São Paulo:

1: implantar nova estrutura organizacional do SPFC

2: contratar executivos de notório conhecimento para áreas-chave do SPFC

3: descrever as funções de cada diretoria executiva, incluindo objetivos estratégicos

4: definir e documentar nova política de remuneração, bem como indicação de plano de carreira

5: revisar plano de contas

6: estabelecer câmaras setoriais para áreas da estrutura organizacional e ações estratégicas

7: criar grupo de aconselhamento com ex-presidentes do SPFC

8: estabelecer estrutura de controle interno para acompanhar o cumprimento restrito do orçamento aprovado

9: estruturar a área e definir atuação das relações institucionais do SPFC

10:  elaboração do painel de bordo para acompanhamento e divulgação dos objetivos e indicadores (KPI) do SPFC

11: definir estratégia para real implementação do SAP

12: criar crupo de trabalho para desenhar processos e procedimentos nas áreas-chave

13: criar o comitê de negociação e definir regras de atuação

14: estabelecer programas para redução de despesas em diferentes níveis

15: desenvolver programa de relacionamento com credores

16: modernizar o portal da transparência da gestão incluindo informações da administração

17: estruturar o departamento de compliance com áreas de análise e investigação

18: revisar o código de conduta do SPFC abordando todos os envolvidos nas operações

19: implementar um sistema de gestão de compliance no SPFC

20: criar programa de engajamento para o sistema de gestão de compliance

21: redesenhar a estrutura do departamento de futebol

22: integrar metodologicamente os centros de treinamentos

23: estabelecer equipe própria e contratar para as áreas-chave no departamento de futebol

24: modernizar o Reffis e a área médica

25: criar critérios mensuráveis para negociação de atletas

26: estabelecer bases para o programa de intercâmbio internacional

27: implementar o CAF - Comitê Avançado do Futebol

28: ter política para jovens de Cotia que ultrapassem a idade

29: estabelecer política para conscientização da força de trabalho

30: criar o setor popular no Morumbi

31: implantar o camarote dos ídolos

32: rever condições para compra de ingressos on-line

33: criar o programa Torcedor do Futuro

34: estruturar acesso e uso de cadeiras cativas

35: ressignificar e reestruturar o programa sócio-torcedor

36: criar embaixadas no Brasil e no exterior, incluindo benefícios

37: concluir a nova estrutura da área social

38: estabelecer critérios e controle das despesas da área social

39: priorizar os projetos na área social com participação dos sócios

40: estabelecer controle e informação sobre o orçamento social

41: criar o CISP (Centro de Inovação do São Paulo) e sua estratégia de integração com futebol, marketing, programa sócio-torcedor e medicina

42: desenvolver os e-sports

43: monetizar a torcida como a quarta fonte de receita através de big data

44: redesenhar a área de marketing incluindo diretoria comercial

45: criar núcleo de integração comercial

46: desenvolver cenários para o road show

47: incrementar a monetização do Morumbi incluindo o concept hall

48: criar programa de responsabilidade social e cultural

49: contratar empresa especializada em comunicação institucional

50: criar plano de comunicação interna e externa

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do São Paulo?