Rueda, Mazzuco e Jorge Andrade passam por "sabatina" no Conselho do Santos

Lucas Musetti Perazolli - Santos,SP

05-10-2021 22:34:37

O presidente Andres Rueda, o executivo André Mazzuco e o gerente Jorge Andrade passaram por uma "sabatina" no Conselho Deliberativo do Santos.

Um grupo de conselheiros pediu para tirar dúvidas com o departamento de futebol. E a reunião virtual extraordinária foi marcada para a noite desta terça-feira. A imprensa não foi liberada.

A "entrevista" foi feita por 30 conselheiros. Eles tiraram dúvidas e fizeram elogios ou críticas. E foram respondidos um a um. Esse processo durou quase três horas.

Dentre os assuntos, o presidente informou a entrada de cerca de R$ 30 milhões por meio de tokens: fan token ou tokenização do mecanismo de solidariedade.

"Valor tem que entrar nesse mês ainda, mas não é o total, tá?. É a primeira parcela de assinatura dos contratos. Teremos receitas futuras para os próximos anos", disse Rueda.

Veja outros assuntos abaixo:

Cadê os capitães?

Um conselheiro criticou as entrevistas de jovens como Gabriel Pirani e Danilo Boza depois de tropeços recentes do Santos no Campeonato Brasileiro e cobrou a participação dos líderes.

Rueda disse que há um revezamento e todos são estimulados a falar, mas concordou que neste momento os mais experientes precisam aparecer.

Resultados ruins na base

O presidente e o departamento de futebol foram criticados sobre a gestão da base. Rueda argumentou que os destaques sobem rápido ao profissional e lembrou que o Santos não vai longe nas competições há anos, mas segue revelando.

"Mesmo com tudo isso, resultados são ruins e não dá para negar".

Direito de transmissão

O presidente Andres Rueda falou sobre a negociação com televisões após a Turner decidir não transmitir mais o Campeonato Brasileiro. A ideia é não fazer negociações coletivas.

"Existe um movimento de negociar em grupo, desses clubes que tinham acordo, mas é muito dinheiro envolvido. Prefiro negociar individualmente e queremos definição rápida. Se deixarmos para última hora, teremos fatia menor", falou Rueda.

Planejamento para 2022

"Alguns atletas não estão nos planos, mas temos contrato. Alguns deles são longos. Passado esse momento de reajuste financeiro da gestão, temos mais tempo para readequar, melhorar o elenco e ir mais longe nas competições. Temos que voltar a brigar em cima", disse Mazzuco.

E os reforços?

Houve cobrança de parte do Conselho Deliberativo sobre a falta de reforços nos últimos dias de inscrições no Campeonato Brasileiro.

Alguns cobraram que há opções na Série B e daria para reforçar o elenco a custo baixo. Rueda argumentou:

"Não podemos pagar 1 milhão de euros por reforços, por isso temos que ser assertivos. Seria ótimo trazer jogador de peso que resolva, mas não dá. Então temos que ser criativos. Pesquisamos, buscamos informações de tudo que é lugar e pode dar certo ou não. Futebol é isso".

"Nós entendemos que deveríamos trazer jogador para resolver. Como não tivemos condições e não encontramos essa oportunidade de mercado, conversamos e decidimos continuar com o mesmo elenco. Isso tudo conversado com a comissão técnica e o departamento de futebol".

O Santos trouxe 10 reforços no ano: o goleiro Jandrei, os zagueiros Emiliano Velázquez e Danilo Boza, o lateral-esquerdo Moraes, os meio-campistas Camacho, Vinicius Zanocelo e Augusto e os atacantes Diego Tardelli, Léo Baptistão e Marcos Guilherme.

"Clubes se preocupam com treinador que chega, coloca jogador de confiança e sai. Técnico indica, mas nós vetamos se não entendermos como aceitáveis para o momento. Vetamos algumas indicações do Fernando Diniz, por exemplo. Todos que vieram chegaram com boas recomendações e aprovação do departamento", falou Mazzuco.

Cobrança ao elenco

O executivo André Mazzuco falou que ninguém está cômodo com essa situação. E que o salário em dia é argumento na hora das cobranças aos atletas.

"Todos estão cientes do momento. Cobranças estão sendo feitas. Presidente faz todo esforço possível para pagar salário em dia. E usamos isso no nosso tom de cobrança. Entendemos que o elenco tem total condição de sair dessa situação".

União

O presidente Andres Rueda justificou o preço único de R$ 40 para o reencontro com a torcida do Santos na partida contra o Grêmio no domingo, na Vila Belmiro, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro.

"É um momento difícil e precisamos da união da torcida. Precisamos de todos juntos", disse Rueda.

"Situação do futebol está boa? Não. Temos que unir a torcida e sair dessa situação com trabalho. Não há justificativa ou desculpa para dar. Contratamos o que deu depois do transfer ban. Não adianta chorar o leite derramado. Temos que sair disso. Acredito nesse grupo", concluiu.

Deixe seu comentário