Raniel conta 'milagre' após trombose no Santos: "Um ou dois minutos de perder a perna ou até a vida"

São Paulo, SP

16/07/21 | 15:35

Raniel renasceu no Santos. Esse verbo é utilizado muitas vezes sem contexto no futebol, mas no caso do atacante foi de fato começar de novo.

Raniel ficou 282 dias sem jogar e reestreou pelo Peixe contra o Palmeiras no último sábado. Durante esse período, passou por duas cirurgias e quase perdeu a perna direita.

Tudo começou no dia 3 de outubro, na concentração para a partida contra o Goiás, em Goiânia. Ali veio o diagnóstico de trombose venosa profunda.

“Eu não sabia a gravidade da situação quando acordei, mas senti uma dor insuportável. Uma pressão enorme na minha perna, eu cheguei a gemer de dor, pois ela não parava. E assim que o doutor viu ele já falou que era suspeita de trombose e teríamos que ir para o hospital. Então já me internaram em Goiânia mesmo. E após a dor, em muitos momentos eu fiquei sem sentir a perna. Era como se ela estivesse dormente. O médico do hospital de Goiânia me disse que eu estava ali entre um ou dois minutos de perder a minha perna. Foram momentos angustiantes e que não desejo para ninguém. Tive risco de perder a perna ou até a vida. Por isso que hoje eu posso dizer que sou um milagre”, falou Raniel, à Santos TV.

Raniel foi transferido às pressas para um hospital em São Paulo e, um dia depois, foi submetido a uma fasciotoia e drenagem de um hematoma na perna. Em março, o atleta precisou de nova intervenção, dessa vez para alongamento da musculatura posterior e de retirada de uma fibrose que limitava os movimentos do seu tornozelo. A aposentadoria passou pela cabeça dele.

"Se te falar que não (pensou que não jogaria mais futebol) eu vou estar mentindo. Muitas vezes passou pela minha cabeça que eu nunca mais entraria em campo novamente. Quando fiz a primeira cirurgia, ainda em outubro, eu não conseguia colocar o calcanhar no chão. Chegava animado em casa após os treinos, mas quando acordava no outro dia era uma dor absurda e eu não conseguia pisar. Cheguei a comentar com a minha esposa que estava perdendo as esperanças de poder voltar a andar normalmente. Mas depois da segunda cirurgia, no momento em que coloquei o pé no chão foi uma sensação única, pois não sentia mais a dor. Eu parecia uma criança de cinco anos comemorando que ganhou um doce. Fiquei sem saber o que fazer de tão feliz", afirmou.

Depois de tudo isso, Raniel foi chamado para entrar aos 32 minutos do segundo tempo do clássico no Allianz Parque.

"Foi uma mistura de sensações quando o Diniz me chamou ali no Allianz. Passou um filme na minha cabeça, de toda a minha trajetória e luta diária para chegar até aquele momento. Quando o professor me chamou parecia que eu estava estreando novamente como profissional. Coração a mil por hora. Era uma coisa que cada vez eu via mais longe na minha vida, que era entrar em campo de novo. Fiquei feliz demais e até um pouco tonto na hora de entrar em campo. A perna tremeu bastante. Foi um milagre eu estar ali dentro", relembrou.

O camisa 12 relatou que o filho Felipe foi fundamental para seu tratamento. O menino, hoje com dois anos, ficou quase um mês internado na UTI em 2020 depois de se afogar na piscina de casa.

"Várias vezes eu chegava em casa p***, pois não conseguia exercer meu trabalho no CT, mas então eu via meus filhos sorrindo para mim, principalmente o Felipe, que sofreu o acidente ano passado. Meu filho passou perto de não estar mais entre nós, mas estava ali engatinhando e feliz. Eu parava para pensar: 'Como que eu, com 25 anos na cara, vou desistir de toda uma vida que sonhei, sendo que meu filho de dois anos lutou pela vida com nove meses e hoje é um milagre?' Ele me deu muita força para continuar acreditando", contou, emocionado.

"Tenho muita fé de que vou voltar a ser o Raniel que eu sempre fui. Vou voltar a ser o cara que ajuda a equipe, faz gols e ganha títulos. Tudo isso que passou só me deixou mais forte. Estou super bem e ansioso demais para voltar a ajudar esse clube de verdade. Todo mundo aqui do CT está doido para me ver fazer um gol de novo. Já me falaram que quando eu marcar vai todo mundo invadir o campo para comemorar junto. Eu quero muito dar essa volta por cima também pela família e pela comissão do Santos pois todos merecem esse momento por tudo que passaram comigo", completou.

Por fim, o jogador de 25 anos agradeceu aos profissionais do Santos pelo suporte e mandou um recado para a torcida.

"Abaixo de Deus e da família, só tenho gratidão por todo o pessoal do Santos. O que eles enfrentaram comigo não foi brincadeira. Eu via no olhar de todos a preocupação comigo, o desejo de me verem bem e voltando a jogar. E isso me fazia forte demais. O ambiente de trabalho aqui é alegre demais. Por mais que eu chegasse triste, em poucos minutos já mudava o humor, pois o pessoal aqui coloca a gente para cima. A gente pensa que não, mas os pequenos detalhes fazem diferença. Os fisioterapeutas Zé Renato, Amâncio e Avelino, os médicos Galotti, Fábio, Guilherme e Alba, etc. Todos os membros do departamento médico e também da comissão são como uma família para mim hoje, e eu faço questão de falar isso para eles todo dia", disse.

"Eu recebi muitas mensagens de pessoas me apoiando, dizendo que toda a nação santista estava comigo. Só quero dizer a vocês que meu desejo é dar a minha vida por esse clube. E não só pela parte profissional, mas também para mostrar que, por mais que a gente passe por dificuldade, temos sempre que manter a fé e persistir. Acredito que posso ser uma inspiração para muita gente. Então não percam a esperança, porque por mais que você esteja passando por um momento de turbulência, pode acreditar que lá na frente, se você acreditar, tudo vai dar certo", concluiu.

Raniel tem 15 jogos pelo Santos, com dois gols marcados. O contrato termina em 31 de dezembro de 2023.

Deixe seu comentário