Gazeta Esportiva

Jobson mostra preocupação com coronavírus e defende jogos sem público

São Paulo, SP

13/03/20 | 15:13

Jobson diz ter filha pequena em casa e revela medo (Foto: Ivan Storti/Santos)

A pandemia de coronavírus vem assombrando o mundo nos últimos dias. Depois de afetar o calendário do futebol europeu, a doença já começa a surtir os primeiros efeitos no Brasil. O clássico entre São Paulo e Santos, marcado para este sábado, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista, não terá público. Para o meio-campista Jobson, do Peixe, a medida é correta.

"Essa questão pegou todo mundo de surpresa e não podemos ser os únicos a achar que coisas estão normais e sob controle. A partir do momento que especialistas, voltados para o caso, acham que por enquanto dá para jogar com portões fechadas vamos jogar. Eu tenho filha em casa, preocupação é maior. Procuro me cuidar e cuidar da minha esposa, para que dentro da minha casa não afete em nada", comentou o volante nesta sexta-feira, em entrevista coletiva.


Ainda não há nenhum caso confirmado de jogadores infectados, mas a precaução se iniciou. Jobson revelou que o clube distribuiu álcool em gel e comunicados de alerta por todo CT Rei Pelé.

"Começamos a ter mais cuidado. Está tendo álcool em todo o CT, textos com algumas frases para evitar se cumprimentar, ou lavar as mãos quando espirrar... Procuro o cuidado dobrado, porque se afetar minha casa vai me prejudicar bastante", revelou.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Apesar do surto, a partida entre São Paulo e Santos está confirmada momentaneamente. O duelo é bastante importante para o Alvinegro da Vila Belmiro, que, em caso de vitória, pode confirmar sua classificação às quartas de final do Paulistão com duas rodadas de antecedência.

Deixe seu comentário