Auxiliar vê empate do Santos com bons olhos e explica demora nas substituições

São Paulo, SP

26-01-2022 22:21:40

O Santos iniciou a sua trajetória no Campeonato Paulista com um empate sem gols contra a Inter de Limeira, fora de casa. Responsável por comandar o Peixe nesta quarta-feira, já que Carille está com covid-19, o auxiliar Leandro Silva viu com bons olhos o resultado.

“Temos que sempre olhar o lado mais positivo. Tivemos 17 dias de preparação e perdemos um jogador no final do primeiro tempo. Tivemos que jogar praticamente 50 minutos com um a menos. Com certeza isso dificulta muito, é início de temporada. Os jogadores estão buscando o melhor condicionamento. É um processo de adaptação. Então, acho que temos muito mais coisa positivas para tirar desse jogo e agora é pensar no sábado para poder ajustar o time e chegar nas vitórias”, disse em coletiva.


“Conseguimos entrar no campo deles com trocas de passes. Preenchemos bem a parte central do campo. Faltou a gente definir um pouco mais rápido. A bola tinha que entrar de lado, tanto no Braga quanto no Madson. O adversário também tem seus méritos, com uma marcação forte, mais baixa e compacta. Tivemos dificuldades. A gente tem ajustes para fazer, que com certeza virão no próximo jogo”, completou.

O Alvinegro Praiano jogou o segundo tempo inteiro com um jogador a menos depois que Gabriel Pirani foi expulso nos acréscimos da etapa inicial. Mesmo com o meio de campo desfalcado, Cuquinha preferiu não mexer na equipe na volta do intervalo.

A primeira substituição do Santos, aliás, só saiu aos 30 minutos do período final. Questionado sobre a demora, Leandro destacou o bom comportamento dos atletas que estavam em campo.

“Os jogadores se comportaram bem, a gente estava com uns jogadores mais leves. Foi um jogo de muita bola parada também. Para se mexer no time, é preciso pensar em tudo, como bola parada, força física, desempenho…Nossa preocupação era não deixar o rendimento cair. Os atletas se comportaram bem com um a menos”, analisou.

Por fim, o auxiliar ainda comemorou a manutenção de algumas ideias implementadas pela comissão técnica na reta final da última temporada.

“Muitas coisas que a gente vinha trabalhando desde o ano passado os jogadores fizeram. Isso foi bem positivo. Algo que a gente sofreu muito no ano passado foi bola parada. Hoje tiveram muitas bolas paradas e nós não sofremos”, finalizou.

O Peixe volta a campo agora no sábado, às 11 horas (de Brasília), contra o Botafogo-SP, na Vila Belmiro.

Deixe seu comentário