Futebol/Santos

Arquiteto de projeto de nova Vila Belmiro vê repercussão “surpreendente” no Santos

Mateus Videira* - São Paulo , SP
12/07/2019 07:00:45

Em: Escolha do editor, Futebol, Santos

Responsável pelo projeto de reforma da Vila Belmiro, o arquiteto Artur Katchborian, do escritório Biselli & Katchborian, se mostrou “surpreso” com a recepção dos conselheiros do Santos sobre os primeiros passos para o retrofit do estádio. Caso seja aprovado, o plano pode aumentar a capacidade da Vila para até 20.000 pessoas, além de outras mudanças como a cobertura das arquibancadas e realocação de áreas.

“Surpreendentemente, a repercussão foi acima das minhas expectativas. Eu estava preparado para receber muito mais críticas. Tem situações técnicas que devem ser discutidas, mas mesmo os mais rudes trouxeram comentários aplicáveis e discutíveis. Estava preparado para o ambiente mais hostil”, disse o arquiteto.

“A Vila tem que ser modernizada, mas o principal é aumentar a relação da Vila Belmiro com o Santos, com o entorno. Os conselheiros falaram muito sobre isso e queremos transformar esse bairro em outra situação. Acho que a Vila vai ser um novo polo de magnetismo para o povo de Santos. A Vila vai mudar para o bem”, completou Arhur.

Um dos principais temas abordados pelos conselheiros do Santos durante a apresentação foi justamente a capacidade da “nova” Vila Belmiro. Para alguns deles, o projeto deveria ter em conta mais lugares, na casa dos 35 mil. Ao mesmo tempo, o responsável pelo projeto ponderou a necessidade de aumentar a média de público do estádio, que em 2019 é de 9 mil pessoas, para depois pensar em um aumento mais concreto.

“Eu recebo uma demanda e retorno, mas tem limitações técnicas. A média da Vila Belmiro é de 9 mil pessoas. Não em cabimento pensar que eu transformo 9 mil pessoas em 20 mil. A gente precisa voltar a frequentar a Vila, precisamos aumentar a média. Se aumentarmos em 50% a gente coloca dois Maracanãs por ano aqui dentro. Tem todo um trabalho e eu não faço milagre”, comentou, apontando os próximos passos.

“Estamos na fase do plano diretor, que é o anteprojeto. O próximo passo é atender aos comentários da área técnica, dos conselheiros e dos torcedores. Eu estimo que o plano diretor será entregue em cerca de um mês. Isto é, receber os comentários, refletir sobre eles, argumentar e dar a resposta. Temos mais um mês de trabalho antes da entrega final. Além disso, tenho um plano marginal de como realocar algumas áreas”, finalizou o arquiteto.




×
Quer receber notícias do Santos?