Médico é escolhido para dar entrevista no Verdão após saída do técnico

William Correia - São Paulo,SP

10/03/16 | 18:58 - 10/03/16 | 19:18

O médico Rubens Sampaio deu entrevista no dia de seu aniversário (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)
O médico Rubens Sampaio deu entrevista no dia de seu aniversário (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Por conta de uma reunião envolvendo jogadores, comissão técnica e diretoria, o Palmeiras liberou a entrada de jornalistas na Academia de Futebol mais de uma hora após o início do encontro. E o escalado para dar entrevista coletiva no dia seguinte à demissão do técnico Marcelo Oliveira foi o médico Rubens Sampaio.

“Eu já tinha feito o pedido para me manifestar a respeito das críticas ao departamento médico e estava combinado que eu viria aqui, independentemente do resultado e das circunstâncias que aconteceram. O que estava combinado antes do jogo continuou combinado depois do jogo”, tentou se explicar Rubens.

Nenhum dirigente se manifestou no centro de treinamento porque o diretor de futebol Alexandre Mattos já tinha dado entrevistas para comunicar a saída de Marcelo Oliveira na madrugada, minutos após a derrota para o Nacional do Uruguai, no Palestra Itália. E o presidente Paulo Nobre está no Rio de Janeiro, em evento na CBF.

Coube então a Rubens, além de responder a perguntas sobre lesões, desviar de questionamentos que chamou de “saia justa”. Por exemplo, se aprova a chegada de Cuca para substituir Marcelo Oliveira. O médico, que começou a trabalhar no clube em 1997 e comemora o 50º aniversário de vida nesta quinta-feira, mostrou bom humor.

“Como palmeirense, tenho minha opinião. Como médico do Palmeiras, não tenho nenhuma. Vamos no Bar do Zé, na Pompeia, aí tomamos um chopp e falamos de futebol. Falo o que quiserem. Mas, aqui, não é adequado”, comentou, lamentando apenas pela saída de alguém com quem criou amizade durante os nove meses de trabalho de Marcelo Oliveira no Palmeiras.

“Você acaba ficando cascudo em relação a isso, é da cultura do futebol brasileiro. Não sei com quantos técnicos trabalhei, mas me relacionei muito bem com todos tanto profissionalmente quanto pessoalmente. O Marcelo é um cara afável, tranquilo, fácil de conversar. É muito chato que essas coisas aconteçam, mas, infelizmente, faz parte da nossa rotina”, conformou-se.

Enquanto Rubens Sampaio concedia entrevista coletiva, somente os reservas trabalhavam sob chuva no campo da Academia de Futebol, já que os titulares na derrota dessa quarta ficaram nas dependências internas do centro de treinamento, realizando exercícios de recuperação física. Alberto Valentim comandará o time interinamente no domingo, contra o São Paulo, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista. O início das atividades desta sexta-feira serão fechadas para os jornalistas.


Deixe seu comentário