Após discussão com Luiz Adriano, volante do Inter explica pedido para honrar cor

São Paulo, SP

03-09-2020 16:13:29

Uma discussão envolvendo Matheus Jussa e Luiz Adriano marcou o final da partida entre Palmeiras e Internacional, disputada no Allianz Parque na noite de quarta-feira, pelo Campeonato Brasileiro. Por meio de publicação em seu perfil no Instagram, o volante do time gaúcho de sua versão para a confusão.

Pouco antes do final do jogo, os dois já estranharam e, na saída do gramado, a situação continuou tensa. Mais perto da entrada do vestiário, Luiz Adriano manda o adversário calar a boca e Matheus Jussa repete a frase “honra tua cor”, seguida por insultos. As imagens e áudios foram captados pela TV Globo.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Nota de esclarecimento: Estou batalhando a anos para mostrar o meu trabalho e jamais entraria em um conflito para me promover!! No empate contra o palmeiras essa noite, houve uma tensão no jogo e no meio desse desentendimento comum, eu me referi a ele dizendo “ O que foi negrão ?“ (ONDE PRA MIM é natural), e ele questionou como se tivesse o ofendido. Então, pedi a ele que honrasse a nossa cor conforme foi aberto no áudio em que estou dizendo “ honre sua cor rapaz “. Com pesar afirmo que, ser negro não é uma ofensa, é orgulho! ✊🏾 Ser chamado negrão por um companheiro em campo nunca foi uma ofensa e nunca será! Deixo claro que, em nenhum momento toda a situação ocorreu por conta do gol sofrido. Obrigado a todos os torcedores do Internacional pelo apoio.

Uma publicação compartilhada por Matheus Isaias (@matheusjussa) em

Por meio de seu perfil no Instagram, Matheus Jussa publicou o que chamou de “nota de esclarecimento”. O meio-campista de 24 anos de idade começou assegurando que jamais entraria em um conflito para se promover e, em seguida, deu sua versão para o entrevero com Luiz Adriano.

“No meio desse desentendimento comum, eu me referi a ele dizendo: ‘O que foi, negrão?’. (ONDE PRA MIM é natural) e ele questionou como se tivesse o ofendido. Então, pedi a ele que honrasse a nossa cor, conforme foi aberto no áudio em que estou dizendo ‘honre sua cor, rapaz’”, diz o texto.


“Com pesar, afirmo que ser negro não é uma ofensa, é orgulho! Ser chamado negrão por um companheiro em campo nunca foi uma ofensa e nunca será! Deixo claro que, em nenhum momento, toda a situação ocorreu por conta do gol sofrido”, escreveu Jussa.

Deixe seu comentário