Abel Ferreira destaca comportamento coletivo do Palmeiras em classificação contra o Atlético-MG

Guilherme Goya - São Paulo,SP

11/08/22 | 01:28 - 11/08/22 | 02:04

A classificação do Palmeiras sobre o Atlético-MG veio de maneira épica nesta quarta-feira. A equipe chegou a ficar com dois jogadores a menos em campo e, nos pênaltis, garantiu a vaga para a semifinal da Libertadores. Depois do jogo, o técnico Abel Ferreira comemorou o comportamento coletivo de seus atletas.

Ao explicar as mudanças que fez logo após a expulsão de Danilo, aos 29 minutos da primeira etapa, o treinador português destacou o empenho dos jogadores que estavam em campo.

“Já disse que não temos muito tempo para treinar. Temos comportamentos coletivos. A única mudança que fizemos é que quando não tem o centroavante você deixa de fazer a pressão nos zagueiros, mas todos mantêm o mesmo comportamento. Nós treinamos comportamentos de equipe, e o que fizemos foi manter esse comportamento”, disse o treinador, que elogiou a torcida e falou ainda sobre os obstáculos do jogo.

“Hoje, foram muitas adversidades. Não foi só o Atlético-MG. Fomos capazes, de forma coletiva, de superar essas adversidades. Sou um treinador muito orgulhoso dos meus jogadores. Hoje também foi a uma vitória da torcida, com empenho e desempenho dos nosso jogadores", completou.

Assim que perdeu Danilo, o Palmeiras não demorou para se reorganizar em campo. Raphael Veiga recuou para fazer a função de volante ao lado de Zé Rafael. Dudu passou a atuar centralizado no ataque, enquanto Rony fez o corredor direito, e Scarpa mudou para o lado oposto.


As modificações táticas trouxeram dificuldade para o Atlético-MG, que pouco conseguiu ameaçar o gol palmeirense. Abel explicou como as decisões foram tomadas de maneira rápida e ainda revelou como se prepara para adversidades como a desta noite.

“Não gosto de ir para os jogos sem experimentar o que pode acontecer. Peço aos jogadores que fechem os olhos, imaginem coisas que podem acontecer no jogo. E eu faço o mesmo. Crio alguns cenários que podem acontecer, seja nós com um jogador a mais, ou com jogador a menos. Quando isso acontece, você está preparado para dar a resposta”, declarou Abel.

O técnico português não deixou de destacar também a sua comissão técnica, e deu mais detalhes do que entrou em discussão antes de corrigir o posicionamento de sua equipe.

“Nós somos uma equipe técnica. Não sou só eu, temos cabeças suficientes para pensar bem e dar o nosso melhor. Em poucos minutos pensamos em ter um zagueiro, mas achamos melhor não. Achamos melhor ter o Dudu como centroavante, e abrir o Rony para fazer o lado direito e deu certo. Mas só deu certo porque eles fazem acontecer”, completou.

Ainda antes do fim do tempo regulamentar, o Palmeiras perdeu Gustavo Scarpa por expulsão e jogou os minutos finais com dois jogadores a menos. Mesmo assim, segurou o 0 a 0 e venceu nos pênaltis, com brilho de Weverton e com a cobrança derradeira de Weverton.

Classificado, o Palmeiras agora espera o vencedor de Estudiantes e Athletico-PR, que se enfrentam nesta quinta-feira. No jogo de ida, na Arena da Baixada, as equipes empataram em 0 a 0.

Deixe seu comentário