Adversário do Grêmio, La Equidad ameaça não viajar ao Brasil; entenda o entrave

São Paulo, SP

18-04-2021 19:43:40

Por conta da drástica situação na qual se encontra o Brasil no que diz respeito à pandemia do coronavírus, o La Equidad ameaça não viajar a Porto Alegre para enfrentar o Grêmio, pela Sul-Americana. A partida está marcada para às 19h15 da quinta-feira desta semana.

Isso porque o governo colombiano não está permitindo que voos provenientes do Brasil pousem no território nacional, visto que a situação da covid-19 está descontrolada em nosso país. O La Equidad reforça que está dialogando com as autoridades da Colômbia para encontrar uma solução, mas não descarta deixar de viajar a Porto Alegre.

A princípio, o voo da equipe colombiana deixaria o país na terça-feira, mas ainda não há uma autorização por parte das autoridades locais. Além do Grêmio e do La Equidad, o grupo H da Sul-Americana conta com o Lanús-ARG e com o Aragua-VEN.

Veja o comunicado emitido pelo La Equidad na íntegra:

Os clubes Deportes Tolima e La Equidad Seguros S.A. informam à opinião pública, meios de comunicação, jornalistas, fãs e torcedores em geral a sua preocupação frente às medidas emitidas na Resolução 080 de 21 de janeiro de 2021 do Ministério da Saúde e Proteção Social, à qual restringe o ingresso de pessoas que procedam do Brasil, afetando desta forma nossa participação na fase de grupos da Copa Conmebol Sul-Americana, pois ambos clubes devem responder a compromissos programados para o dia de quinta-feira, 22, em território brasileiro.

É necessário informar, então, que, até agora, não foi possível concretizar a logística correspondente para o cumprimento dos ditos encontros, incluindo os respectivos voos fretados solicitados pela organização da competição, mesmo que estivessem orçados para a terça-feira, dia 20 do mês em curso.

Frente ao anterior, requeremos toda a colaboração das autoridades colombianas para poder cumprir com este compromisso internacional. Pois, se não for possível, nos veremos altamente afetados, assumindo as respectivas consequências sancionatórias de parte da Conmebol para nossos clubes e à FCF (Federação Colombiana de Futebol).

Deixe seu comentário