Gazeta Esportiva

Fellipe Bastos analisa queda de rendimento do Goiás e projeta caminho para reação

São Paulo, SP

04/11/21 | 20:44 - 04/11/21 | 20:45

Mesmo estando na quarta posição da Série B, o Goiás vem passando por um momento complicado na temporada. A equipe obteve apenas duas vitórias nos últimos nove jogos e tem visto o acesso à Primeira Divisão ficar ameaçado.

Neste cenário, o volante Fellipe Bastos fez uma análise da atual fase do Esmeraldino. O jogador comentou sobre os fatores que levaram à queda de rendimento e explicou que a falta de experiência do elenco e a ansiedade têm contribuído para a piora no desempenho.

"Nossa equipe hoje é muito nova. Tem alguns jogadores que não passaram por momentos de oscilação dentro de uma competição difícil e complicada como a Série B. A gente só ganha experiência passando por situações como essa. Não que a culpa seja deles, todos têm a sua parcela de culpa, mas a gente ainda está no G4 e vamos terminar no G4", disse em coletiva nesta quinta.

"O que não podemos fazer é entrar nos jogos com ansiedade. Isso atrapalha a gente a alcançar os objetivos dentro de campo, que são as vitórias, e dentro da competição, que é a Série A. Então não podemos estar ansiosos e transmitir isso nas partidas, que o adversário acaba se beneficiando disso. Precisamos cuidar um pouco mais da parte psicológica e deixar a ansiedade de lado. Vamos conquistar as vitórias tendo tranquilidade e serenidade sabendo daquilo que precisamos fazer em campo", acrescentou.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Fellipe Bastos também fez uma projeção do caminho para o Goiás recuperar o rendimento positivo. O meio-campista declarou que o time precisa voltar a pressionar os adversários dentro de seus domínios e atuar com atitude e inteligência.

"Temos que resgatar o que fazíamos dentro dos jogos em nossa casa, que é pressionar. Não importa a formação, temos que pressionar o adversário. Acho que isso é algo que deixamos de fazer, principalmente nesse último jogo contra a Ponte Preta. Quando a gente se sentiu acuado pelo 2 a 0, conseguimos encurralar a Ponte e imprimir o nosso ritmo. Temos que carregar esse segundo tempo que fizemos contra a Ponte e buscar intensamente a vitória", afirmou.

"Precisamos ser inteligentes dentro do jogo e mudar essa atitude dentro de campo. Sabemos que estamos devendo, oscilamos muito. Esperávamos oscilar na competição, o que é normal, mas não esperávamos oscilar como oscilamos. Agora temos cinco jogos, que são cinco finais, e vamos fazer de tudo para que a gente consiga o máximo de pontos possível", completou o jogador.

Com o empate diante da Ponte Preta, o Goiás chegou à marca de 54 pontos, três à frente do CSA e do CRB. O próximo jogo do Esmeraldino será contra o Operário no sábado, fora de casa, às 19 horas (de Brasília), pela 34ª rodada.

Deixe seu comentário