Futebol/Bastidores

Organizada do Cruzeiro pede saída de jogadores e oferece cachaça como prêmio

São Paulo , SP
11/09/2019 16:21:46

Em: Bastidores, Cruzeiro, Notícias
Rogério Ceni foi apoiado (Foto: Reprodução)

Os protestos da maior torcida organizada do Cruzeiro seguiram nesta quarta-feira. Pelo segundo dia consecutivo, os integrantes da Máfia Azul foram a porta da Toca da Raposa para demonstrar a insatisfação em relação ao momento vivido pelo clube, cobrar os atletas e pedir atitudes da diretoria.

Com faixas e gritos de ordem, os torcedores declararam apoio ao treinador Rogério Ceni e pediram a saída de atletas e dirigentes. Como prêmio, o grupo “ofereceu” cachaça a aqueles que acatassem a recomendação. Os principais alvos foram Thiago Neves, Edilson, Egídio, Robinho, Henrique, Pedro Rocha, Ariel Cabral e Jadson.

Entre os cartolas, o vice-presidente Itair Machado entrou na mira da organizada. “Ah que bom seria, se o Itair voltasse para o Ipatinga”, cantaram os protestantes, fazendo referência à passagem do dirigente pelo clube do interior de Minas.

Os jogadores, porém, conseguiram evitar o contato direto com os torcedores, uma vez que a ação foi marcada com uma certa antecedência pelas redes sociais, fazendo com que eles chegassem ao Centro de Treinamentos em outro horário.

Além do protesto desta quarta-feira, a Máfia Azul já esteve na porta da Toca da Raposa, na terça-feira, e na Sede Administrativa, na segunda. Dono da 16ª colocação do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro soma apenas 18 pontos em 18 jogos e flerta com o rebaixamento.