Diretor explica viagem ao Rio, avalia opção estrangeira e adota cautela

Do correspondente Gustavo Aleixo - Belo Horizonte,MG

29-04-2016 08:15:15

O Cruzeiro não quer cometer erros na escolha do substituto do técnico Deivid, demitido no último domingo. Em entrevista à Rádio Itatiaia, o diretor de futebol celeste, Thiago Scuro salientou as constantes trocas no comando da equipe celeste no último ano e pregou cuidados na análise dos candidatos ao cargo, para que o clube consiga desenvolver um trabalho a longo prazo junto a nova comissão técnica.

Perguntado se ele e o vice de futebol, Bruno Vicintin, teriam entrada em contato com Jorginho e Ricardo Gomes, técnicos de Vasco e Botafogo, durante viagem realizada nesta semana para o Rio de Janeiro, o dirigente desconversou. Scuro também avaliou a possibilidade de o clube buscar um treinador estrangeiro, caso do colombiano Reinaldo Rueda, do Atlético Nacional-COL, e ressaltou que tal escolha dependerá de uma estudo mais rigoroso por parte da diretoria.

Sem definir um prazo para o anúncio do novo treinador, Thiago Scuro ainda adiantou que o Cruzeiro será comandando pelo assistente permanente do clube, Geraldo Delamore, na partida de volta da Copa do Brasil, contra o Campinense, na próxima quinta-feira, no Mineirão.

Confira os tópicos tratados pelo dirigente na entrevista:

Cautela na escolha do novo treinador

“Estamos tendo muito cuidado, muita cautela. O Cruzeiro teve quatro treinadores no último ano, então isso é uma coisa que chama a atenção. Então, estamos tendo muito cuidado, analisando bem isto, quem são os possíveis treinadores para o que o Cruzeiro quer ser pela frente”.

Trabalho a longo prazo

“A gente precisa de um treinador de uma comissão técnica que o clube todo abrace, que a torcida abrace e que a gente dê para este profissional condições de conduzir o clube pelos próximos anos, porque é evidente que este é um modelo que se tem sucesso. Estas trocas de treinadores de forma muito repetitiva trazem um desgaste muito grande para o trabalho e para o clube”.

“O desejo é que venha um treinador com contrato até o final de 2017, que concluiria a gestão do Gilvan (Tavares, presidente do Cruzeiro), que é o prazo de contrato que o Mano (que deixou o clube rumo ao futebol chinês) tinha. O desejo é este, que consigamos fazer um trabalho para fazer um grande Campeonato Brasileiro neste ano, brigar na parte de cima para que o ano de 2017 seja um ano de Libertadores, um ano de grandes expectativas”.

Scuro e Bruno Vicintin foram ao Rio de Janeiro nesta semana e aumentaram especulações (Washington Alves/Light Press)
Scuro e Bruno Vicintin foram ao Rio de Janeiro nesta semana e aumentaram especulações (Washington Alves/Light Press)

Especulações e ida ao Rio

“Um clube do tamanho do Cruzeiro, que tem uma cadeira de treinador vaga, é natural toda esta ansiedade, toda esta movimentação da imprensa, que é muito especulativa. O que tem de verdade é que o Cruzeiro está analisando os treinadores que estão vivendo um bom momento, que têm um pensamento próximo ao do Cruzeiro”.

“O fato de estarmos no Rio tinha muito mais relação com uma visita à CBF. A CBF está vivendo uma semana de cursos. Enfim, com tudo que temos feito, estamos tendo muito cuidado, muito respeito e também entendendo toda esta ansiedade, mas pedindo cuidado para o tipo de informação que o torcedor está consumindo”.

Treinador estrangeiro

“Não estamos em busca apenas de representatividade. Sabemos que ter um nome forte, uma referência é um ponto importante para um clube como o Cruzeiro. Qualquer opção de treinador estrangeiro, acho que o critério tem que ser mais rigoroso, porque estamos no meio da temporada, mas evidente que, como estamos vivendo um momento como este, todas as possibilidades são analisadas. Mas tendo a consciência que um treinador estrangeiro exige um cuidado maior pelos desdobramentos que isso pode ter no dia a dia, como cultura diferente, equipes diferentes, a dinâmica do Brasileirão é diferente, a dimensão do país, o volume de jogos. Então, estamos tendo atenção a todos os detalhes”.

Duelo contra o Campinense

“O (Geraldo) Delamore comanda a equipe no jogo da Copa do Brasil, até porque ele está preparando a equipe para esta partida. Nós não estamos colocando um prazo para nós, mas mesmo que a definição do novo treinador venha um ou dois dias antes do jogo, a tendência é que o Delamore fique para este jogo. É confronto importante que o Cruzeiro precisa avançar. Historicamente, somos protagonistas na Copa do Brasil e assim que tem que ser”.

Deixe seu comentário