Tite volta a externar insatisfação com agente após Felipe ser convocado

Helder Júnior - São Paulo,SP

28-03-2016 08:28:48

Técnico está feliz porque Fernando Garcia não possui participação nos direitos econômicos do zagueiro

Tite não se conteve quando falava sobre a convocação de Felipe para a Seleção Brasileira. Além de comemorar o sucesso que o antes contestado zagueiro alcançou sob o seu comando, o técnico do Corinthians também voltou a desabafar contra o empresário Fernando Garcia.

“O Felipe é inteiro do Corinthians! Não tem empresário com grana nele! Que legal, gente! Que bom!”, comemorou Tite, bastante sorridente, em uma clara referência a Garcia.

Antes conselheiro do Corinthians, o agente se indispôs com Tite quando levou o jovem Malcom para o Bordeaux, da França. Na época, o treinador havia feito um apelo público para que a transação não se concretizasse, argumentando que o atleta ainda precisava evoluir no futebol brasileiro. Não adiantou.

Como o Corinthians possuía apenas 30% dos direitos econômicos de Malcom, perdeu poder de decisão quando a proposta do Bordeaux apareceu. Tite reagiu com irritação: “Eu trabalho para o clube, sem interesse financeiro. Respeito muito o Corinthians, sou profissional. Não trago benefícios próprios de qualquer alçada, financeira ou política, ao fazer um diagnóstico de contratações. Faço o que entendo ser melhor para o clube”.

Fernando Garcia está próximo de lucrar com outra revelação do Corinthians, o meia Matheus Pereira, que perdeu espaço entre os profissionais após desperdiçar um pênalti com cavadinha na final Copa São Paulo de Juniores deste ano. O provável destino do jogador, de quem o Corinthians só tem 5% dos direitos econômicos, é o futebol italiano (a Juventus já manifestou interesse na contratação).

Felipe, ao contrário, “é inteiro do Corinthians”, conforme Tite bradou. O defensor da Seleção Brasileira foi cotado a deixar o clube após a conquista do último Campeonato Brasileiro, mas teve os seus direitos comprados e renovou contrato até 31 de dezembro de 2019.

“Havia a possibilidade de ele sair no final do ano passado. Com a direção e a comissão técnica reunidas, peguei o Felipe de lado e falei que ele estava em um estágio de crescimento grande e que o próximo passo era a Seleção Brasileira, e não a Europa. Falei para ele pensar bem, para ficar. É claro que fiz lobby por causa da Libertadores, mas esse já era o diagnóstico de todos”, recordou Tite.

A permanência se mostrou acertada para os dois lados. Agora na Seleção, Felipe agradeceu reiteradas vezes a Tite pela confiança que recebeu nos últimos anos. “Posso não ter grande inteligência, mas não sou burro. Não aposto em quem não tem talento. Trabalhando, era inevitável que ele conseguiria chegar aonde está. É lei”, concluiu o treinador.

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?