Sylvinho protege João Victor e admite queda do Corinthians no segundo tempo

São Paulo, SP

16-06-2021 23:35:26

O Corinthians encontrou muita dificuldade contra o Red Bull Bragantino, nesta quarta-feira, na Neo Química Arena. O Timão até saiu na frente, mas levou a virada e acabou derrotado por 2 a 1.

Na entrevista coletiva após o jogo pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro, Sylvinho admitiu a queda da equipe no segundo tempo.

"No primeiro tempo, nós combatemos melhor, mais gasolina no tanque, um jogo do qual nós entendíamos que nosso adversário já joga junto há um bom tempo, valores individuais. Tínhamos neutralizado algumas inversões de bola, essa margem de um contra um, estivemos bem nesse aspecto, construção boa", analisou o treinador.

"No segundo tempo, tivemos um decréscimo, o Bragantino entrou mais, tivemos dificuldade logo no início. Tentamos substituições, entrada do Araos era para dar mais posse de bola, a intenção era ter retenção de bola. Com relação a Natel, tinha um campo aberto com o Bragantino vindo para cima, velocidade ele tem, queríamos jogar no espaço, mas, infelizmente, acabou se lesionando, e a terceira foi em decorrência dessa lesão".

Sylvinho também fez questão de minimizar a falha de João Victor no segundo gol dos visitantes em Itaquera. O zagueiro tentou proteger uma bola dentro da área e acabou vendo Eric marcar o gol da vitória do RBB.

"Faz parte da maturação deles, o jogo é complexo, as decisões são muitas numa partida, João está crescendo, tem grande potencial, mas faz parte do jogo, jogadores se equivocam, é continuar trabalhando em treinamentos e em jogos".

Agora, o Corinthians volta a campo no domingo, às 16 horas, quando enfrentará o Bahia.


Leia outras respostas de Sylvinho na entrevista coletiva:

Dificuldade nas bolas aéreas
"Sim, nosso time é relativamente baixo, e a gente tenta treinar, equilibrar, buscar soluções, para que seja minimizado esse aspecto, e hoje a gente sofreu, desde o primeiro tempo".

Fator crucial para derrota
"Estamos vivendo um tempo complicado, parte do trabalho também é recuperar pontos importantes no nosso campo, um bom campo, um ótimo estádio. Óbvio que falta o torcedor, mas temos de encontrar soluções. Estávamos envolvidos, tivemos entrega, mas houve um decréscimo. Estamos tristes, como nosso torcedor, mas o papel é buscar, trabalhar, melhorar".

Chance de chegada de Guerrero
"É um atleta de um outro clube, tenho mais dificuldades aqui com qualquer tipo de comentário, já trabalhei com ele aqui no Corinthians, mas não é um atleta do Corinthians, não me permito fazer qualquer comentário. A diretoria está trabalhando em alguns situações, mas é algo diretivo".

Muitos jogadores defensivos
"Nossos volantes são nossos artilheiros hoje. Outro dia, Gabriel fez um gol, hoje Roni fez um gol, estamos fomentando a ideia deles pisarem na área, dão sustentação. Natel se machucou, não queria correr o risco de colocar Cauê no jogo, situação de jogo complicada. Eu considero Ramiro e Araos meias, atletas da função. Gustavo já vinha cansado de todo o jogo, ainda assim sustentando bem, mas agente perdeu, porque é um atleta que já vinha de todo um desgaste".

Planejamento com saídas de atletas e base
"O planejamento é estar trabalhando em cima do time, organizando, sendo um time que defende bem, que tenha organização, trabalhamos com atletas jovens, ninguém é diferente, todos estão sendo aproveitados, terão seu tempo. Eles é que mostram para nós. Nós passamos, levamos ao campo e o atleta é que responde. Muitos absorvem bem. Em um momento ou outro, existem falhas, mas faz parte da maturação dos atletas. Queremos um time forte, que defenda bem e jogue o jogo. Para isso, vamos buscar soluções".

Avaliação sobre Luan
"Eu posso comentar do Luan desse período de 20 dias que estou no clube. É um atleta que se dedica nos treinos, tem nos entregado, se esforçado, tem uma grande qualidade técnica e trabalhamos para trabalhar um link, uma conexão, todos, não só individualmente. Buscamos essa melhora. Te entregado, buscado, se esforçado. Vamos trabalhar para que todos sejam potencializados".

Gabriel sem infiltração
"Cada jogo são situações diferentes. No jogo anterior, tivemos liberdade maior para infiltrar. Hoje, encontramos isso no Roni. Gabriel ficou mais na construção, também teve o apoio ao Fábio, o Arthur é um jogador muito complicado, de pé trocado, e faltou esse espaço um pouco na parte ofensiva. Mas, ele tem entregado, o Roni estava com mais liberdade. Foi isso que ocorreu nesse jogo".

Fábio Santos
"Sempre um prazer falar de um atleta que tem uma carreira muito vitoriosa dentro do Corinthians. A construção de carreira dele é diferente da minha, eu saí jovem, não tive esse papel de liderança, havia outros experientes no time. Fábio chega num momento da experiência, sendo líder, sendo importante para o grupo, domina a função, conhece o sistema, foi bem treinado ao longo da carreira, entende as coisas, fico feliz de ter ele no grupo. Um prazer poder ser treinador dele, e que ele continue brilhando como atleta e, futuramente, quando ele decidir encerrar a carreira e seguir em outra função".

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?