Sylvinho admite lentidão, defende Jô e explica por que não fez trocas mais cedo

Tiago Salazar - São Paulo,SP

09-10-2021 20:23:55

Sylvinho precisou dar explicações para uma derrota do Corinthians após 10 jogos. Neste sábado, em Pernambuco, o Timão perdeu por 1 a 0 para o Sport Recife, e o técnico reconheceu o mérito do adversário para construir o placar.

"A gente vem de 10 partidas invictas, somando pontos e colocando o Corinthians onde merece. Sair com resultado negativo é ruim. Mas nossa performance, temos de reconhecer, não foi boa, e o que ocorreu foi essa lentidão, o adversário, nós já tínhamos alertado nossos jogadores. O Sport é a terceira melhor defesa do campeonato, se defende com todos atrás da bola, tira os espaços, agora estão em três vitórias, o adversário muitas vezes faz com que você fique lento e nós fomos, sim. Fizemos substituições para acelerar esse processo, não adiantou muito, enfim, faz parte desse processo, continuaremos trabalhando para melhorar".

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Sem Willian, preservado por causa de um desconforto na perna, Sylvinho escolheu Jô para iniciar o jogo. A atuação do centroavante terminou, talvez, sendo alvo do maior questionamento entre torcedores nas redes sociais, e o comandante alvinegro explicou suas razões.

"Com relação a escolha, Jô é um titular desse time, um deles, são tantos. Estamos formando um grupo e temos, em determinado momento, alguns mais jovens ganhando espaço, em outros momentos esperam e vão maturando. O Jô, ao contrário, faz parte dessa construção, tem dado bastante pra nós, artilheiro desse time, um jogador de bastante referência. Passou, sim, por uma ou duas semanas com uma pequena lesão, logo após o jogo com o Palmeiras, vinha sentindo o joelho. Treinou, não viajou e voltou a pouco a pouco, mas é um atleta referência, o qual nós já utilizamos com o Róger jogando por fora em outra ocasião e eles já tiveram boa performance".

"Hoje não foi um bom jogo e a performance não foi boa de todos, de maneira que eu não credito, em absoluto, uma má performance (do time) ao Jô jogar por dentro e o Róger aberto pela esquerda, de forma alguma, até porque tivemos uma versão dessa em que o Róger fez o gol contra o Palmeiras. Naquela situação, Jô era a referência. Essas coisas ocorrem, tem resultados bons, tem performances boas, hoje ela não foi".

Apesar da dificuldade encontrada pelos corintianos em campo, Sylvinho realizou as primeiras trocas apenas aos 25 minutos do segundo tempo, e o tema foi outro ponto abordado na entrevista coletiva.

"As substituições não são uma regra. Eu não entendo a substituição como regra. 'Tem que substituir com 45, com 22, com 30'. Você tem de substituir quando o time precisa, quando você vê a necessidade. Qual é a necessidade, é velocidade? Jogamos contra um adversário que é a terceira melhor defesa do campeonato, que dá pouco espaço em profundidade, então isso dificulta, tira a velocidade do jogo. Em vez de marcar para frente, ele marca para trás, tira o espaço, dificulta mais, e as nossas escolhas foram em cima do que vimos do adversário. Não existe uma regra. Existe uma necessidade que o time tem para fazer a substituição".

O Corinthians volta a campo na quarta-feira, às 21 horas, quando receberá o Fluminense, na Neo Química Arena.


Veja outros trechos da entrevista coletiva de Sylvinho:

Motivo para lentidão
"Parte da explicação, não é desculpa, porque o time não teve boa performance, mas você me pergunta da lentidão, e digo de novo, nenhuma desculpa. A lentidão não é de viagem, não é de calor, porque aqui a temperatura estava amena, o campo não estava molhado e adversário que se defende com os 10 atletas (de linha), te elimina o espaço e você tem de construir muito para fazer. O time ficou lento e o adversário dificultou as ações, resultou bem para eles, está correta a observação, tirou a velocidade, não é uma desculpa, mas respondendo a pergunta, realmente fomos lentos, em decorrência dessas situações".

Mais sobre demora para substituir
"De forma geral, muitas vezes o time não faz um bom primeiro tempo. Volta, e com cinco, oito minutos, se encontra e faz gol. Isso muitas vezes não é computado também. O meio tempo existe para isso, para correções, e muitas dessas correções, e muitas dessas correções, quando a gente entende que é de vestiário, você faz ali com 10, 15 minutos. Mas, você tem de saber se tua correção foi bem feita, se teus atletas entenderam. Muitas vezes, num cenário nacional, mundial, você tem essa tolerância para saber como vão responder às correções do vestiário. Depois, por situações de jogo, lesões, o treinador fará. Estávamos aguardando, não surtiu efeito, o time continuou lento, uma performance não boa e a gente foi fazer com 25 minutos as primeiras substituições, colocando o Renato para primeiro (volante) e o Gustavo na ponta direita para deixar o time mais leve e mais rápido, mas logo depois acabamos tomando o gol e as coisas ficaram mais difíceis".

Mais sobre dificuldade ofensiva
"As perguntas são próximos, porque vimos o mesmo jogo. O Sport dificultou bastante, dos meias, dos externos, e, obviamente, do Jô. Não credito a má atuação a um atleta. Foi uma má atuação em termos gerais. Imaginávamos um jogo difícil, não somente o Jô, mas todo o time teve uma performance abaixo".

Maior dificuldade no jogo
"Tivemos dificuldade na construção do jogo, ficou lento. Não conseguimos construir, não tivemos a velocidade necessária e o adversário foi feliz".

Balanço de série e invicta e projeção
"Vamos de passo em passo, vamos construindo uma etapa. Alguns meninos tivemos sequência como titular, me fascina, temos três pilares, jogadores que já conquistaram tudo, atletas que chegaram. Todos fazem parte dos 10 jogos de invencibilidade e de uma performance muito ruim, como hoje. Vamos de jogo a jogo, o próximo é contra o Fluminense, foco é esse, só temos energia para o próximo jogo".

Róger Guedes mal no jogo
"O desempenho do Guedes não foi bom, assim como de todo o time. Não foi bom dos demais atletas, tivemos dificuldade, a primeira parte por excesso de movimentações, não tivemos uma construção um pouco mais paciente e pagamos um preço por isso, de maneira que não é um ou outro atleta que teve uma performance abaixo. Todos, todos nós tivemos uma performance abaixo. Faz parte, 10 jogos de invencibilidade, grupo crescendo, ambição, mas hoje tivemos um jogo ruim, faz parte, o campeonato é longo e difícil".

Deixe seu comentário