Gazeta Esportiva

Ronaldo lamenta desacerto com Drogba e fala sobre Mundiais

Tiago Salazar - São Paulo,SP

01/02/17 | 22:20

O Corinthians não teve sucesso na sua tentativa em contratar o marfinense Didier Drogba e transformar o atacante em um grande produto de marketing, além da contribuição que o jogador poderia dar dentro de campo. A ideia era fazer com Drogba algo parecido com o que aconteceu quando Ronaldo defendeu o clube entre 2009 e 2011. Mas, no fim, o ídolo do Chelsea-ING preferiu não aceitar a proposta alvinegra e a diretoria corinthiana ainda acabou recebendo muitas críticas de todos os lados pela forma como conduziu e, principalmente, como encerrou as tratativas. Nesta quarta-feira, durante um evento em São Paulo, Ronaldo falou rapidamente sobre o caso.

“Eu não sei como aconteceu, pelo jeito não deu certo, não sei quem participou. É uma pena para o Corinthians não poder contar com ele, principalmente pela maneira que foi feita a negociação, expondo o Corinthians a essa situação”, comentou o Fenômeno, concordando de que a última imagem não foi favorável ao clube do Parque São Jorge.

Ronaldo também falou sobre a polêmica dos Mundiais. Na última segunda-feira, a Fifa enfatizou sua posição de não reconhecer os torneios disputados antes de 2000, já que eles não foram organizados pela instituição que rege o futebol e tinha apenas sul-americanos e europeus como candidatos. A posição revoltou os clubes brasileiros que se sentiram lesados e agradou ao Corinthians, único Bicampeão Mundial desta forma.

“Eu acho que o principal é o sentimento que os atletas e a torcida têm. O título que realmente vale é o que é jogado. Depois, tem burocracia, eu não sei a motivação para não reconhecer os títulos do passado, enfim...”, despistou o ex-jogador, que nunca escondeu ser torcedor do Flamengo, apesar da forte ligação com o Timão nos últimos anos.


Novo empreendimento
Nesta quarta-feira, a CNB E-Sports, clube mais tradicional do país no setor de jogos eletrônicos, anunciou Ronaldo como seu novo e mais importante parceiro. O ex-jogador entrará apenas como investidor e garoto propaganda, mas, durante o evento, chegou a se arriscar em uma partida na League of Legends (LOL), jogo que desperta o maior número de consumidores e praticantes no mundo.

“Eu mesmo tinha um pouco de preconceito com meus filhos, minha preocupação de não deixar muito tempo no jogo. Mas é muito mais saudável do que realmente a gente imagina. Eles são atletas realmente. Eles estudam sobre isso, se preparam para isso, eles sabem da importância que têm o esporte, a atividade física, para que a mente esteja sempre saudável e que responda aos comandos”, explicou Ronaldo após passar muita tensão na disputa contra seu companheiro de pôquer, André Akkari.

“Cara, eu curto muito jogo. Tudo é muito emocionante, e logicamente eu conheço muito menos os comandos do jogo, eu fico mais perdido. Em campo eu sabia exatamente o que fazer em cada momento. Mas eu vou aprender”, brincou.

A novo empreendimento de Ronaldo é justificável pelo crescimento constante do setor de jogos eletrônicos no país. O Brasil atualmente é o maior da América Latina e 12º no mundo no setor. As estatísticas de jogos online alcançam 60 milhões de pessoas só no mercado interno.

No último Campeonato Brasileiro de LOL, a CNB ficou com o vice-campeonato em uma disputada que contou com cerca de 13 mil pessoas no ginásio do Ibirapuera. O clube, inclusive, tem um projeto de sócio-torcedor, faz suas próprias peneiras para formar jogadores e estes são regularizados dentro da CLT, com salário profissional e todos os direitos garantidos, além de toda a estrutura oferecida pelo clube.

Deixe seu comentário