Mancini minimiza declarações de Luan e sinaliza mudanças no "time A" do Corinthians

Tiago Salazar - São Paulo,SP

14-04-2021 00:09:45

Luan foi titular do Corinthians nessa terça-feira, um dia depois de citar a falta de oportunidades e sequência na equipe titular durante entrevista ao SBT.

Ao fim da partida em Araraquara, que terminou com a derrota do Timão pro 2 a 1, mas com uma boa apresentação de Luan, Vagner Mancini falou sobre o jogador e também sobre as declarações dadas por ele à imprensa.

"Não teve nenhuma influência. Óbvio que não. Eu e o Luan sempre temos conversas e acho importante que o Luan quer jogar, acho ótimo que ele quer jogar, quer uma oportunidade. Ele foi, ele deu a entrevista, eu nem sabia da entrevista, eu soube hoje, um pouco antes do jogo".

"Recebi de forma natural, porque converso com Luan quase que todo semana. Temos essa liberdade, porque aquilo que ele falou na imprensa ele já falou pra mim. E eu também já falei pra ele aquilo que eu espero do jogador".

Mancini, inclusive, deu a entender que Luan será escalado novamente na sexta-feira, contra o São Bento, na Neo Química Arena. Além do meia, outros jogadores que atuaram nessa terça podem ganhar vaga no "time A" do Corinthians, que, em tese, ficou descansando para o próximo compromisso.

"A tendência é essa. Sexta uma equipe, domingo outra. Mas, não necessariamente as mesmas equipes, até porque hoje eu vi bom rendimento, então, alguns atletas podem aparecer na sexta. Tenho de ponderar, usar nossa parte científica para saber quais estão em condições de repetir um jogo na sexta. Mas, hoje vi coisas interessantes, embora a equipe tenha sido derrotada".

"A partir do momento que você tem uma equipe mais técnica e essa equipe perde menos a bola, você, consequentemente, corre menos, e tem a possibilidade de ter mais força ofensiva. Eu também vi dois jogos diferentes, também vi hoje uma equipe que me agradou muito mais".


Veja outros trechos da entrevista coletiva de Vagner Mancini:

Análise do jogo
"Curiosamente, hoje, vimos um Corinthians diferente do último domingo. O time teve um ótimo primeiro tempo, foi dono do jogo, teve mais posse de bola, finalizou mais a gol. No segundo tempo, caiu de produção, mas não foi por isso o resultado, tivemos alguns erros que acabaram influenciando. Mas, nós vimos um Corinthians que teve posse, que chegou, que jogou, que teve boas oportunidades e teve alguns erros, que são os ajustes que a gente sempre faz".

Entrevista de Luan
"Não teve nenhuma influência. Óbvio que não. Eu e o Luan sempre temos conversas e acho importante que o Luan quer jogar, acho ótimo que ele quer jogar, quer uma oportunidade. Ele foi, ele deu a entrevista, eu nem sabia da entrevista, eu soube hoje, um pouco antes do jogo. Acho importante a gente analisar o contexto de tudo. O jogador quer jogar e nós também queremos que ele apresente o futebol que a gente sabe que ele tem. Luan é um ótimo garoto. A gente tem uma relação muito bacana, de amizade. Não vi nada de mais na entrevista, vi um atleta que quer jogar. Assim como dei oportunidade para ele no Brasileiro, quando ele teve cinco partida, ele pode ter agora. Acho que ele fez um bom jogo e é importante que a gente recupere, não só o Luan, mas todos que, por ventura, passe por um jejum de gols ou de boas partidas. Acho de um significado bacana partir dele".

Luan ir pra imprensa pedir chance
"Recebi de forma natural, porque converso com Luan quase que todo semana. Temos essa liberdade, porque aquilo que ele falou na imprensa ele já falou pra mim. E eu também já falei pra ele aquilo que eu espero do jogador. É importante ter uma relação sincera com o atleta. O Luan já teve uma sequência lá no Brasileiro. Pode ser que ele tenha outra agora. Eu sou o maior beneficiado, o Corinthians é o maior beneficiado se o Luan voltara ter aquele futebol".

Melhora do meio-campo
"Eu também acho que hoje taticamente a equipe foi superior aos últimos jogos, teve mais desenvoltura, conseguiu sair, Cássio teve poucos tiros de metas longos, e isso é importante para qualificar a equipe. A entrada do Luan ajudou, mas a de outros atletas também, que souberam aproveitar a oportunidade".

Atuação de Xavier
"O atleta fez um bom jogo. Assim como todos os outros, sentiu um pouco em função do tempo de inatividade, o que é perfeitamente normal, às vezes, cai um pouco a concentração. Os ajustes são feitos em todas as partidas. E sempre é necessário".

Nível de atuação/ resultado
"Merecia uma sorte melhor, mas futebol é bola na rede. Nos últimos jogos a gente não teve boa atuação, mas venceu. E hoje acabou fazendo um dos melhores jogos do ano. Então, temos de parar, pesar, refletir e entender por que perdemos, quais foram nossos erros. Sexta a gente joga novamente. Que esse jogo sirva de exemplo diante do que fez no primeiro tempo. Poderia ter feito o segundo ou terceiro gol no primeiro tempo. Fruto da inatividade de alguns, fruto também de uma equipe, do outro lado, que melhorou na segunda etapa. Tudo isso é analisado e repassado aos atletas".

Postura da Ferroviária
"Acho que o Corinthians adotou a postura de protagonista desde o começo do jogo. Finalizou mais, teve a bola, não deixou a Ferroviária chegar, o grande teor do jogo ficou no nosso time. Na segunda etapa, não houve mudança de atitude. Houve, talvez, da Ferroviária. Alguns atletas sentiram a falta de jogo. Muito mais em função disso do que outras coisas. Ninguém quer fazer 1 a 0 e sair para jogar no contra-ataque. No Corinthians não existe isso".

Tabela com jogos sexta e domingo
"Você sabe que no futebol tudo muda constantemente. A nossa ideia é essa, na sexta usar um time e no domingo outro time. Deu certo, entre aspas, porque domingo conseguimos a vitória com um time e hoje acabamos sendo derrotados jogando bem. A tendência é essa. Sexta uma equipe, domingo outra. Mas, não necessariamente as mesmas equipes, até porque hoje eu vi bom rendimento, então, alguns atletas podem aparecer na sexta. Tenho de ponderar, usar nossa parte científica para saber quais estão em condições de repetir um jogo na sexta. Mas, hoje vi coisas interessantes, embora a equipe tenha sido derrotada.

Escalação de time mais técnico
"Pode ser uma saída, sim. Não tenha dúvida. A partir do momento que você tem uma equipe mais técnica e essa equipe perde menos a bola, você, consequentemente, corre menos, e tem a possibilidade de ter mais força ofensiva. Não quer dizer que a gente vá repetir os mesmos times. Eu também vi dois jogos diferentes, também vi hoje uma equipe que me agradou muito mais, mas óbvio que cada cenário é diferente. Hoje, jogamos num campo melhor, enfrentamos uma equipe de característica diferente, cada contexto tem de ser analisado de forma diferente, mas é importante que a gente pontue tudo. O fato te ter agredido mais tem um por quê. O fato de você ter uma equipe que marca demais também te possibilidade erros de passes, o que aconteceu domingo. Dentro desses cenários, vamos tentar montar uma equipe competitiva e técnica para sexta e o mesmo para domingo.

Retorno de Léo Santos
"Não tenho ainda. É óbvio que tenho alguns que vêm jogando mais, que são titulares, mas toda oportunidade é uma chance do cara ir bem. O Léo voltou hoje, é um atleta que está voltando, vai começar a ter oportunidade, quase precisou entrar por causa do lance do Piton, acabou não acontecendo, mas está inserindo, vai ganhando condição física, técnica. Hoje, temos seis zagueiros, o Léo um pouquinho atrás, mas é um atleta que pode a qualquer momento, ganhar oportunidades nesse calendário maluco".

Erro de Xavier
"O erro e o acerto faz parte do jogo. Todo mundo que está no campo pode acertar ou errar. Tem alguns erros que custam caro, mas existem também alguns acertos que fazem a equipe chegar à vitória. Tudo isso faz parte de um processo natural".

Preparação para adversários mais difíceis
"Se fortalecer o máximo possível para a gente estar em outro nível técnico, tático. Sabemos como é difícil jogar o Paulista, esse equilíbrio de faz fortalecer alguns conceitos, mas sabemos que há uma diferença, porque quando iniciar o Brasileiro estaremos em outras competições. Estamos num momento de amadurecimento para jovens jogadores como também para o time como um todo. Daqui a pouco chegamos à finais do Paulista, uma dificuldade enorme, tem também a Copa Sul-Americana, Copa do Brasil. Hoje há algumas equipe mais preparadas para o Brasileiro, mas não sei se essa diferença vai estar assim quando começar o Brasileiro"

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?