Grupo de oposição pede esclarecimentos sobre dinheiro da venda de Pedrinho

São Paulo, SP

28-05-2020 18:23:38

A venda de Pedrinho ao Benfica vem causando enormes dores de cabeça ao presidente do Corinthians, Andrés Sanchez. Membros do grupo de oposição "Frente Liberdade Corinthiana" enviaram um requerimento ao mandatário pedindo esclarecimentos sobre o dinheiro da transferência do atacante.

O pedido trata-se do adiantamento de cerca de R$ 120 milhões que o Timão acertou com um banco estrangeiro, visto que o clube encontra-se em uma situação financeira delicada. A garantia foi o dinheiro que será recebido do clube português.

Além disso, exigem a explicação do acordo que foi estabelecido com o empresário de Pedrinho, Will Dantas, que aceitou ceder sua parte estabelecida na transação agora para receber de volta em 2021. O jogador foi vendido por 20 milhões de euros, e o Alvinegro tem direto a 70% desta quantia, ou seja, 14 milhões de euros, que equivale a R$ 81,3 milhões na atual cotação. O restante pertence ao agente.

Ainda no requerimento, também pedem a explicação do envolvimento de Yony Gonzalez na negociação, se ele está atrelado ou não a venda da revelação corinthiana.

Este é o segundo grupo de oposição que pede esclarecimentos em relação a transferência de Pedrinho. Anteriormente, o "Movimento Corinthians Grande" também havia feito um pedido.


A "Frente Liberdade Corinthiana" deu o prazo de cinco dias para a explicação de Andrés Sanchez, que termina seu mandato no final deste ano. As eleições para eleger o próximo presidente estão marcadas para novembro.

Confira o documento na íntegra:

Ilmo. Sr. André N. Sanches

Presidente do
S.C. Corinthians Paulista

Sr. Presidente:

Nós, Conselheiros do SCCP e integrantes da Frente Liberdade Corinthiana, no estrito cumprimento de suas atribuições e prerrogativas Estatutárias, tomamos conhecimento, como toda a nação Corinthiana, da notícia veiculada pela imprensa dando conta da contratação, pela Diretoria, de Banco estrangeiro para antecipar os 20 milhões de euros que o Corinthians receberá pela venda do atleta Pedrinho, bem como eventual acordo com o empresário do mesmo, pelo qual seria postergado para 2.021 o pagamento do percentual cabível a este.

Diante da relevância e impacto nas contas do Clube desta contratação, vimos solicitar de V. S. esclarecimentos acerca dos fatos, através de respostas às seguintes indagações:

A) Se os fatos são verdadeiros e quais os valores efetivamente envolvidos em todas as operações relacionadas ao atleta PEDRINHO, inclusive todos os custos da operação (incluindo bancárias) e despesas diversas.

B) Em caso positivo à indagação anterior, qual é o percentual do negócio devido ao empresário?

C) Que tipo de operação se estabeleceu com o empresário, para eventual postergação da parte cabente a este? Importou na “Só a Verdade libertará o Corinthians!” assunção de juros e correção monetária pelo Corinthians? Em que monta?

D) Ocorreu anuência prévia do CORI em relação à essas operações?

E) Queira fornecer todos os detalhes específicos da operação, inclusive modalidade dos Contratos, se público ou privado. Além dos custos, taxas de juros, períodos, prazos, encargos gerais das instituições contratadas e das eventuais empresas que detém os direitos do atleta Pedrinho, bem como eventuais intermediários e/ou garantias.

F) O negócio que trouxe o Yone Gonzalez ao Corinthians está ou
não atrelado à venda do Pedrinho ao Benfica? Em que medida?

Justifica-se o presente requerimento nestes termos por força do galopante endividamento que o Clube vem sofrendo, a exigir nossos maiores esforços para debelar esta constrangedora e difícil situação, sendo despiciendo mencionar o direito indubitável dos signatários, como Conselheiros, de obter os informes em questão.

No aguardo de sua prudente resposta, a qual deverá ser fornecida no prazo máximo de 5 (cinco) dias, firmamo-nos,

FRENTE LIBERDADE CORINTHIANA 


Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?