Garcia abre mão de candidatura e dá força a Citadini em eleição do Timão

GazetaEsportiva.net - São Paulo,SP

15-01-2015 22:02:00

A eleição presidencial do Corinthians, em 7 de fevereiro, terá três candidatos, não quatro como era indicado até a semana passada. Em tentativa de reforçar a oposição, Paulo Garcia abriu mão de disputar o pleito e deu força a Antônio Roque Citadini, tido como o principal adversário de Roberto de Andrade, o candidato da situação.

A eleição presidencial do Corinthians, em 7 de fevereiro, terá três candidatos, não quatro como era indicado até a semana passada. Em tentativa de reforçar a oposição, Paulo Garcia abriu mão de disputar o pleito e deu força a Antônio Roque Citadini, tido como o principal adversário de Roberto de Andrade, o candidato da situação.

“O grupo que vem administrando o Corinthians esgotou a capacidade reformadora que tinha”, afirmou Citadini, apresentando uma chapa que chamou de “forte”. “Fiquei muito honrado pelo gesto de nobreza do Paulo ao abrir mão da candidatura”, acrescentou o ex-diretor de futebol alvinegro.

O movimento da oposição ganhou força com a guerra vivida dentro da situação. O atual presidente Mário Gobbi vive conflito com o líder de seu grupo, o antecessor Andrés Sanchez. Ainda que aposte publicamente na vitória de Andrade, vem duelando com o possível sucessor.

A crise se ampliou na última semana, quando Andrés, Roberto e o atual gerente de futebol, Edu Gaspar, acertaram a contratação de Dudu. Preocupado em entregar o clube com os problemas financeiros controlados, Gobbi vetou o acordo nos moldes apresentados. O atacante acabou no arquirrival Palmeiras.

Foi a senha para a oposição articular uma união, forjada entre Citadini e Paulo Garcia, antigos aliados e recentemente estremecidos. O outro candidato opositor, Ilmar Schiavenato, que chegou a fazer parte da administração Gobbi como diretor social, recusou-se a abrir mão de sua candidatura.

Deixe seu comentário