Corinthians teve posse de bola ineficiente e já sofria antes de Fagner ser expulso

Tiago Salazar - São Paulo,SP

11-09-2020 06:00:49

O Corinthians perdeu para o Palmeiras de maneira inquestionável nessa quinta-feira. Claro que as expulsões de Fagner, aos 40 minutos do primeiro tempo, e de Danilo Avelar, na parte final do jogo, foram determinantes, mas a equipe de Itaquera já vinha sofrendo mesmo quando a disputa era 11 contra 11.

A posse de bola pode ter dado a falsa sensação de que o time de Tiago Nunes, em algum momento, teve o controle do jogo. Afinal, o Corinthians teve a bola sob seu domínio em 54% do Derby.

No entanto, com exceção a um chute no travessão de Otero, que pegou sobra de escanteio, Weverton praticamente não foi incomodado. Por outro lado, o Palmeiras agrediu, e muito, com uma estratégia definida, vertical e de velocidade.

Antes de Fagner levar o cartão vermelho, o Palmeiras finalizou 12 vezes, sendo quatro delas no gol de Cássio. O Corinthians conseguiu apenas dois chutes no alvo, além de outros dois para fora.

No segundo tempo, quando o desequilíbrio numérico de atletas no gramado, de fato, pesou, foram mais oito finalizações do Verdão, contra cinco dos corintianos.

Nas duas partes do jogo, o Corinthians trocou mais passes que seu arquirrival, mas quando olhamos para as estatísticas que registraram disputas de bolas vencidas, disputas pelo alto, desarmes, interceptações, contra-ataques e finalizações de dentro e de fora da área, o Palmeiras levou vantagem em todos os quesitos.

Pode-se dizer que Rómulo Otero foi quem se salvou na atuação do Corinthians. O venezuelano foi substituído depois de jogar por 72 minutos e acabou responsável por cinco finalizações (três no gol e duas para fora). Ao todo, a equipe alvinegra finalizou 10 vezes (quatro no gol, quatro para fora e teve outros dois chutes travados).


 

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?