Corinthians receberá valor anual à vista e terá shows no gramado da Neo Química Arena

Tiago Salazar - São Paulo,SP

01-09-2020 13:10:55

Algumas horas depois de anunciar a venda do naming rights de sua Arena para a Hypera Pharma, o Corinthians confirmou que receberá R$ 15 milhões anuais, à vista, pelos próximos 20 anos e corrigidos pelo IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado).

“O Corinthians vai adiantar três parcelas. Vamos adiantar as parcelas e o restante a Arena vai pagando para o fundo (que administra o espaço) para completar o anual. Depende o valor que ficarão as parcelas (para saber quantas poderão ser parceladas)”.

O diretor jurídico do clube, Fábio Trubilhano, resumiu a divergência que o Corinthians tem com a Caixa Econômica Federal no momento sobre o empréstimo feito junto ao BNDES à época.

“Há uma ação movida pela Caixa. São R$ 532 milhões no entender da Caixa e R$ 450 milhões na ação movida pelo Corinthians. Há essas divergências, que estão sendo discutidas em juízo. Esses processos, tanto os embargos como a execução da Caixa, vêm sendo suspensos para que as partes se ajustem. Agora, esse cenário fica mais favorável, mas os processos permanecem suspensos”.

Atualmente, a parcela mensal está fixada em R$ 5,7 milhões. Andrés Sanchez, questionado, preferiu não revelar qual o interesse do clube para o reajuste no valor destas parcelas.

O banco recebeu nesta terça-feira o contrato entre Corinthians e Hypera Pharma para avaliação e mandatário corintiano admitiu, em entrevista coletiva virtual, que um encontro deve acontecer nas próximas semanas com o intuído de consumar um novo acordo para dar sequência ao pagamento, paralisado neste momento.

Em relação aos R$ 300 milhões que o clube, em tese, teria de pagar a Odebrecht, o Corinthians também espera anunciar até novembro a conclusão do assunto, que deve terminar com a determinação de uma redução ou até mesmo isenção de pagamento por parte do clube.

“Há um ajuste, vai depender da decisão no juízo da recuperação judicial (da empresa). Teremos de aguardar se haverá saldo remanescente (para pagamento)”, explicou Fábio Trubilhano.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

SHOWS

Desde o anúncio da construção da Arena, Andrés Sanchez sempre se colocou contra a realização de shows no gramado que serve se palco para as partidas de futebol da equipe. Nesta terça, porém, o presidente admitiu que o contrato com a Hypera Pharma permite a realização de eventos deste porte no espaço. O diretor de marketing Caio Campos explicou que a receita irá direto para o pagamento do empréstimo junto a Caixa Econômica Federal, e não para a empresa que comprou o naming rights.

“Foi uma negociação dura, todo mundo sabe que o presidente não gostaria, mas a gente se comprometeu a fazer poucos shows, mas fazer na Arena. A prioridade total são os jogos, não existe nenhuma possibilidade de perder jogos (por causa de shows)”.

“100% desse faturamento da Neo Química Arena vai para o fundo, para nós. Vai ajudar muito a ter mais receita lá, foi difícil convencer o chefe disso, vamos inicialmente fazer poucos shows”, revelou Caio Campos, antes de completar.

“A Neo Química não tem nenhuma gestão sobre a Arena, nenhum valor de show vai para a empresa. Todos os valores de evento, de aluguel, camarote, ingresso, são todos do fundo do Corinthians, todo o dinheiro vem para nós”.

Claramente contrariado, Andrés Sanchez fez questão de reforçar que a realização de shows na Neo Química Arena não atrapalhará o time, como acontece com o Palmeiras, que frequentemente não pode utilizar o Allianz Parque.

“Jamais o Corinthians vai deixar de jogar na Arena por qualquer tipo de evento, o torcedor pode ficar tranquilo. Se não for por punições técnicas, o Corinthians só jogará na Neo Química Arena”.

NOVOS SETORES

Durante a entrevista, Caio Campos explicou também que os setores da Neo Química Arena serão renomeados com as marcas da Hypera Pharma e não mais conhecidos por Norte, Sul, Leste e Oeste.

Sobre o envelopamento do estádio, que caracterizará a Arena com a marca detentora do naming rights, o diretor de marketing explicou que será um processo um pouco mais demorado e que uma empresa especializada já foi contratada para fazer este trabalho. Caio Campos não estimou prazo sobre este tema.

GLOBO E PATROCÍNIO

Durante a entrevista, Andrés Sanchez foi questionado sobre um acordo que está sendo costurado com a Globo para que a Neo Química Arena não tenha seu novo batismo ignorado pela emissora.

“Sobre o nome, a imprensa cobra profissionalismo dos dirigentes, espero que ela seja profissional também e fale o nome da Arena. Estamos conversando com a Globo e futuramente teremos novidades”.

O presidente corintiano também confirmou que há negociações em andamento com a Hypera Pharma para a empresa colocar pelo menos uma de suas marcas na camisa do clube, algo que deve acontecer a partir de 2021.


 

Deixe seu comentário