Corinthians admite dívida relacionada a Romero e busca acordo na Justiça; saiba detalhes

Tiago Salazar - São Paulo,SP

28/12/21 | 18:01

O Corinthians admitiu à Justiça que tem uma dívida R$ 821 mil relacionada aos direitos de imagem de Ángel Romero.

A confissão corintiana aconteceu em meio ao processo movido pelo empresário Regis Marques.

O agente deveria receber, a partir de 2014, quatro parcelas de R$ 622 mil. O acordo foi feito no ato da contratação de Romero, em 2014.


O Timão não cumpriu com a totalidade do acordo e, em 2017, um novo parcelamento foi feito. Dessa vez, a dívida ficou acertada em 30 parcelas de R$ 65 mil.

As últimas nove parcelas não foram honradas, o que motivou Regis Marques a procurar a Justiça, novamente.

O Corinthians, então, admitiu a dívida, mas alegou que reconhece 'apenas' R$ 821 mil por entender que os juros acrescidos são indevidos.

As duas partes acenaram para um interesse em realizar uma audiência de conciliação. Por ora, o caso segue aberto.

A informação foi revelada pelo jornalista Diego Garcia e confirmada pela Gazeta Esportiva.

Outra dívida
Romero foi contrato pelo então presidente Mário Gobbi, em junho de 2014, quando tinha 21 anos.

O Corinthians contou com o apoio de Beto Rappa, investidor que bancou US$ 3 milhões (R$ 6,7 milhões, na ocasião) ao Cerro Porteño, ex-clube do atacante.

À época, o clube se comprometeu a ressarcir o empresário ao fim do vínculo, com valor corrigido, caso o jogador não fosse vendido.

Na cotação desta terça-feira, US$ 3 milhões equivalem a R$ 16,8 milhões.

A Gazeta Esportiva apurou que o relacionamento de Beto Rappa com o clube e, principalmente, com Duílio Monteiro Alves, atual presidente, é bastante tranquilo e de muito diálogo.

Ainda não houve confirmação se a pendência foi resolvida. O que se sabe é nunca houve pressão ou cobrança neste sentido.

Números de Romero
Contratado em 2014, Romero encerrou sua história no Corinthians como o estrangeiro que mais defendeu as cores da equipe, com 222 jogos (107 vitórias, 58 empates e 57 derrotas). Ao todo, o paraguaio marcou 38 gols, sendo 27 na Arena, estádio do qual é o segundo maior artilheiro, atrás apenas de Jô.

 

Deixe seu comentário