Cássio explica lesão e diz que Corinthians já tem de pensar na parte de cima da tabela

Tiago Salazar - São Paulo,SP

01-12-2020 14:45:55

Cássio desfalcou o Corinthians em cima da hora no duelo contra o Coritiba, mas conseguiu se recuperar rapidamente e viajou com o grupo para o duelo desta quarta, contra o Fortaleza, no Ceará.

Em entrevista coletiva virtual, o capitão do Timão falou sobre a situação e sobre como tudo aconteceu no Paraná. Na ocasião, Vagner Mancini colocou Walter para jogar e ficou apenas com Cássio, lesionado, no banco.

"Acabei sentindo um desconforto na hora do chute, no aquecimento, senti uma dor forte, e já tenho idade para saber como meu corpo funciona. A gente fez um teste e a dor foi aumentando. Por precaução, achamos melhor não jogar para não agravar. Graças a Deus, foi só uma contratura, tratei intensamente. O grande problema é na parte do chute e não na movimentação lateral, para pular, algo especifico. Fiquei uns dias sem treinar e, Graças a Deus, nos treinos que fiz não tive problema".

O treino desta terça, no CT do Ceará, será fundamental para a comissão técnico, junto ao departamento médico, decidir se Cássio terá condição de ser titular.

Sobre a equipe, o camisa 12 está confiante de que o Corinthians já pode começar a olhar mais para cima do que para baixo. Neste momento, o alvinegro é o 11º colocado, com 29 pontos, cinco pontos acima do Z4 e oito pontos abaixo do G6.

"Pelos resultados que a gente vem tendo, pela evolução com Mancini, temos de pensar na parte de cima da tabela. Lógico que a grande resposta será com os resultados. Temos de almejar ficar o mais longe possível do pessoal de baixo, mas já olhando para o grupo da frente. É chegar e se manter lá da frente".


Veja como foi toda a entrevista coletiva de Cássio:

Walter
"Me dou muito bem com o Walter, nunca tive problema com nenhum goleiro, sempre foi um ambiente muito bom de trabalho, um goleiro de qualidade. Sempre disputamos posição, mas sabemos que a posição você disputa dentro de campo, há um respeito muito grande, assim como com os outros goleiros. Faz parte, jogar em um time como o Corinthians, você tem concorrente. Lá na base eu tinha nove concorrentes. É assim. A gente se ajuda muito, conversa bastante, um tem liberdade com o outro, e quem ganha é o Corinthians".

Evolução com Mancini
"Sim, vejo evolução, é só ver os resultados, tem melhorado, cada treinador tem seu estilo, maneira de trabalhar, vejo que a gente tem crescido, melhorado com o professor Mancini, a equipe vem sofrendo menos, creio que no segundo turno é uma das equipes que mais pontuou fora de casa, temos evoluído, nesse segundo turno vamos tentar fazer um segundo turno muito bom para subir na tabela".

Novos objetivos
"Creio que sim, já estamos no segundo turno, estamos no meio da tabela, e agora é a hora de nos posicionar na parte de cima da tabela. Lógico que é ganhando jogo, fazendo o que a gente vez fazendo, o time tem evoluído no estilo de jogo do professor Mancini, resultados têm sido bons, a gente tem sido constante, agora é o momento de pontuar para cada vez mais nos distanciar do pessoal de baixo, e creio que estamos muito confiantes, temos conseguido resultados fora de casa, temos que melhorar em casa. Pecamos em alguns momentos em que um ponto seria melhor que perder a partida, mas temos evoluído, no momento que estamos vivendo hoje, estamos pensando no grupo da frente".

Eleições
"A gente acompanha a eleição, lógico, nove anos no Corinthians, é normal que você crie vínculo, não tenho o que falar de nenhum presidente, só agradecer. Desejo sorte ao Duílio, que quando chegou, lá em 2012, foi nosso diretor também, e foi super vitorioso. Espero que a gente possa conseguir títulos, fazer o Corinthians estar entre as primeiras equipes, com organização, não cabe a mim falar de gestão, de fora, porque já foge do que eu tenho que fazer. Mas, desejo toda sorte ao Duílio".

Sintonia com Mancini
"Desde o primeiro dia que chegou ele tem conversado bastante, tem orientado, corrigido. Não estou aqui para julgar, cada treinador tem o seu estilo, o dele é um jeito diferente do que a gente vinha fazendo, os resultados têm sido bons, estamos organizados, sofrendo pouco, temos vencido partidas, a evolução é boa e nos dá confiança".

Situação da lesão
"Fiquei uns dias fora, mas estou bem, me recuperando, fiz fisioterapia intensiva para poder estar bem recuperado. Nos treinos que fiz, não tive problema nenhuma até agora. Espero fazer os treinos que falta e estar pronto para ajudar o Corinthians".

Mais sobre Walter
"Uma grande pessoa, amigo, a gente se dá bem, nossa disputa é em campo. Se tratando de Corinthians, você tem dois ou três em cada posição que podem ser titular. Não tenho vaidade nenhuma quanto a isso. O Walter é uma grande pessoa, bem regular quando joga. A concorrência não é só no futebol, e se tratando de um time como o Corinthians, você precisa ter qualidade, pra mim, é normal. Em todos os lugares que passei, sempre teve concorrência. Em 2017, por exemplo, o Caíque precisou jogar e jogou muito bem. Assim como o Walter, tem o Pezão, o Donelli, jogadores de seleção de base, então, o Corinthians está muito bem servido".

Menos gols tomados
"Precisa continuar sendo regular. Tivemos uma evolução, Mancini tem sua maneira de trabalhar, conversa muito, e o mérito é dele e do professor Anderson, que tem nos ajudado muito. É regularidade, estamos sendo mais sólidos, isso é organização, estar bem postado, corrigir os erros. Esperamos continuar assim, tomando poucos gols. É evoluir para buscar o grupo da frente e estar entre os primeiros".

Aprendizados em 2020
"Na vida, a gente tem de estar sempre aprendendo. Quando acha que sabe tudo, acaba ficando para trás. Um ano difícil, não só para o futebol, mas para a humanidade. Um ano de aprendizado, de dificuldades, mas temos de ser inteligentes para aprender com os erros, tivemos um ano também turbulento no Corinthians, acredito que também por causa das eleições, então, nossa vida é isso, evolução constante. Se Deus quiser, vamos ter um dezembro maravilhoso, tanto dentro como fora de campo".

Ano fora de campo
"Foi um ano bem complicado para todo mundo, pela covid, a questão de clube e trabalho, nesse momento, fica em segundo plano. Estamos falando de vidas humanas, um vírus que afetou mundialmente, temos de agradecer pelas pessoas que não tiveram problemas e orar pelas que se foram, e pensar positivo, sempre. Tirar força de onde não tem, ter dezembro muito bom, tanto sobre covid e futebol. Ano de aprendizado. Se tratando de campo, nada que eu já não tinha passado. É sabedoria, tenho lido bastante a bíblia, para ter sabedoria, pés no chão, acho que esse é o caminho".

Chance de parar o Brasileiro
"Difícil falar sobre isso. Espero que não. Espero que possa diminuir os casos, que a gente possa ter torcida com segurança no estádio, que possam levar seus filhos, que é uma coisa tão bonita, você vê filho, vô, neto, que possa cair o número de pessoas que vêm falecendo. É continuar orando, pedindo a Deus que diminua isso, sei que não foi um ano muito fácil, mas que a gente possa ter sabedoria, ser persistente, crer que vai melhorar. Espero que não pare o Brasileiro, mas que a gente possa fazer isso com segurança".

Relação com a diretoria e atrasos
"A gente passou por um período com os salários atrasados, mas foi um momento difícil, em bastante times, instituições, não só no futebol, em empresas, mas hoje está em dia e o pessoal tem conversado, deixado a gente a par das situações, mas tenho certeza que não teremos mais esses problemas".

Objetivo da equipe
"Pelos resultados que a gente vem tendo, pela evolução com Mancini, temos de pensar na parte de cima da tabela. Lógico que a grande resposta será com os resultados. Temos de almejar ficar o mais longe possível do pessoal de baixo, mas já olhando para o grupo da frente. É chegar e se manter lá da frente".

Lesão no aquecimento
"Acabei sentindo um desconforto na hora do chute, no aquecimento, senti uma dor forte, e já tenho idade para saber como meu corpo funciona. A gente fez um teste e a dor foi aumentando. Por precaução, achamos melhor não jogar para não agravar. Graças a Deus, foi só uma contratura, tratei intensamente. O grande problema é na parte do chute e não na movimentação lateral, para pular, algo especifico. Fiquei uns dias sem treinar e, Graças a Deus, nos treinos que fiz não tive problema".

Evolução individual com equipe mais organizada
"Futebol a gente tem de estar sempre provando, evoluindo, crescendo. Creio que naquele momento nosso time não tinha entrosado, conseguido fazer grandes atuações, ter a regularidade, que a gente tem tido hoje. Mudou o treinador, e não é crítica a nenhum treinador, cada um tem sua maneira de trabalhar, mas se pegar a maneira do Tiago, é mais ofensiva, e naturalmente ficava mais exposto e vinha mais bola. Hoje, a gente trabalha do jeito do professor Mancini, mais defensivo, posicionado, mas é bom que a gente tem conseguido evoluir, crescer. Creio que temos de melhorar em casa agora".

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?