Gazeta Esportiva

Balanço: relembre contratações da “era Vítor Pereira” no Corinthians

São Paulo, SP

02/12/22 | 07:00

Apesar de seu contrato ser válido até 31 de dezembro, Vítor Pereira não é mais técnico do Corinthians. No entanto, o profissional português deixou algumas peças no atual elenco, que devem ser aproveitadas pelo atual comandante, Fernando Lázaro.

Vale mencionar que alguns jogadores foram oportunidades de mercado, casos do zagueiro Fabián Balbuena, do meio-campista Maycon e do atacante Júnior Moraes, que vieram a ser peças importantes do elenco, exceto o último.

Também houve o retorno de Bruno Méndez de empréstimo do Internacional no período, assim como de Ramiro e Mateus Vital. Já Ivan, Bruno Melo e Robson Bambu chegaram ao clube antes de VP, assim como Paulinho.

Lateral direito

Em primeiro lugar, VP pediu a contratação de um lateral direito. O nome escolhido foi Rafael Ramos, que estava no Santa Clara, de Portugal, e assinou vínculo com o Timão até junho de 2024.

Ele veio com a missão principal de ser reserva imediato de Fagner, mas, sem férias após a temporada europeia, acabou adquirindo lesões e não conseguiu contribuir efetivamente em todos os momentos em que o clube precisou.

Ao todo, foram 24 jogos disputados (1.538 minutos em campo), com uma assistência contabilizada e três cartões amarelos. Além das lesões, ele perdeu espaço no final da temporada com o crescimento de Bruno Méndez, que acabou improvisado no setor.

Meia argentino

Um jogador que foi nominalmente pedido por Vítor Pereira foi o argentino Fausto Vera, que estava no Argentinos Juniors. O Corinthians adquiriu 70% dos direitos do jogador de 22 anos, com contrato válido até junho de 2026.

Diferentemente de Ramos, Fausto “já começou jogando”: foram 26 partidas (1.886 minutos em campo) e, apesar de arriscar de fora da área, uma de suas principais características, ainda não marcou nenhum gol, mas se destacou em outros quesitos, como recuperação física rápida, desarmes e bolas recuperadas.

Além disso, ele é visto como um jogador de alto potencial, seja para retorno a curto prazo dentro do clube, como a longo prazo, em relação a uma futura venda, por exemplo.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Fausto Vera (@faustovera5_)

Necessidade de um centroavante

Por fim, algo que já era um objetivo do Corinthians, mas acabou ganhando mais força após a chegada de VP, foi a contratação de um centroavante “de peso”.

Júnior Moraes, contratado na “janela da guerra”, pouco era utilizado e, no decorrer da temporada, isso acabou se confirmando. Ainda, o camisa 77 Jô acabou rescindindo com o clube, mesmo em alta com o comandante.

Então, também aproveitando a guerra entre Rússia e Ucrânia, a diretoria alvinegra contratou Yuri Alberto, do Zenit, cedendo Ivan e Gustavo Mantuan, que vivia bom momento, ao clube russo.

Ele demorou para deslanchar, mas, quando aconteceu, tornou-se vice-artilheiro do Corinthians na temporada, com 11 gols marcados e duas assistências em 28 jogos disputados.

Yuri Alberto sempre foi elogiado por VP, enquanto o atacante, por mais de uma vez, já disse que seu desejo é permanecer no Corinthians. Muitos torcedores nas redes sociais, aliás, se tivessem que escolher entre a permanência do técnico ou do atacante, acabaram por escolher o “fico” do jogador.

Uma das metas da diretoria alvinegra, aliás, é poder adquirir o atleta a partir de junho, quando seu vínculo de empréstimo se encerra. No entanto, seu alto valor é um entrave e outros jogadores teriam que entrar na negociação.

Vale lembrar que Vítor Pereira está negociando com o Flamengo, em negócio que caiu mal no Parque São Jorge, já que o treinador alegou motivos pessoais, a doença de sua sogra, para não permanecer no clube em 2023.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Yuri Alberto (@yurialberto)

Deixe seu comentário