Augusto Melo promete ingresso mais barato, shopping e até roda gigante no Corinthians

Tiago Salazar - São Paulo,SP

09-10-2020 12:29:36

Augusto Melo tem se apresentado como único candidato de oposição à presidência do Corinthians, independente dos discursos de seus concorrentes. Na manhã desta sexta-feira, em entrevista coletiva virtual, o ex-diretor das categorias de base do clube voltou a reforçar sua tese. Augusto também avisou que só aceitará aliança desde que ele seja o líder e lamentou a fragmentação de grupos contrários a atual gestão.

Os sócios corintianos vão definir o sucessor de Andrés Sanchez para o próximo triênio em 28 de novembro. Além de Augusto Melo, Duílio Monteiro Alves, Paulo Garcia, Mário Gobbi e Ricardo Maritan vão concorrer ao pleito.

“Há um ano e meio, quando saí candidato, nosso ex-presidente (Mário Gobbi) foi um dos mentores da minha campanha. Acabei aceitando e, pra minha surpresa, hoje ele é candidato, acabou aceitando. Tinha tudo para sair um candidato só, formar uma frente única. Fui procurado pelo ex-presidente, mas ele já passou por lá, já teve todas as chances do mundo, na melhor fase da vida do Corinthians, e com todo esse processo, conseguimos aumentar ações trabalhistas, diminuir nossa receita. Então, pra mim, é o mais do mesmo. O outro está lá (Duílio). Vai resolver o quê? Por que não resolve agora? Vai ser como presidente que vai resolver? Não vai. Temos candidato indeciso (Paulo Garcia), que pagamos R$ 1,2 milhão pra família, pro irmão. Sou o único de oposição, estou aberto a conversas, desde que eu esteja na frente, porque nós temos um projeto de verdade”.

Após apresentar os advogados Otto Gübel, especialista em insolvência e recuperação de dívidas, e Luís Castelo, especialista em compliance, como pilares para uma eventual administração, as propostas de governo de Augusto Melo foram expostas pelo publicitário Sergio Moura. O plano, inclusive, está registrado em cartório e o candidato de 56 anos garantiu já ter parceiros para colocar tudo em prática de imediato.

Veja alguns dos projetos mais audaciosos apresentados por Augusto Melo:

-Mudar estatuto para o presidente assumir a responsabilidade fiscal com bens próprios.

-Clube ter de 80% a 100% dos direitos de todos os jogadores da base.

-Ter apenas uma marca (patrocinador) exposta na camisa.

-Dividir o futebol do clube social.

-Congelar o valor dos ingressos por um ano.

-Não cobrar ingresso de crianças até oito anos de idade.

-Distribuir 1 mil ingressos para pessoas carentes a cada jogo.

-Construir um shopping no Parque São Jorge focado não só no sócio, como também no turismo.

-Construir uma roda gigante com o emblema do clube dentro do Parque São Jorge.

-Construir um hotel para receber não só associados.

-Reduzir a despesa com energia elétrica em 60%.

-Construir o Hospital Dr. Sócrates dentro do Parque São Jorge.

-Criar a própria operadora de celular do clube.

-Criar a própria Rede Social do clube.

-Criar uma TV por streaming

-Garantir aulas de inglês aos jogadores da base.

-Criar um grupo de pessoas que doe cestas básicas a cada gol marcado pelo Corinthians.


Veja os principais trechos da entrevista de Augusto Melo:

Trabalho com a base
“Trabalhei na base (Sub-17), existia o inchaço de atletas, quase 68 jogadores. Passei a acompanhar de perto, fui jogador de futebol, estudei, fiz gestão esportiva, gestão técnica de futebol. Enxugamos para 30 jogadores e fomos campeões de tudo (...) Fiz o contrato do Pedrinho. O Roni tinha acabado de sofrer uma cirurgia de joelho, estavam mandando ele embora, pedi pra segurar, pra fazer contrato. Seria um risco, mas me orgulho, foi uma peça que segurei, é satisfatório. Foram três anos na base”.

Diminuir ingresso e mudar Arena
“Abaixar os ingressos, de cara, para que a gente tenha nossa Arena lotada. Tirar cadeiras do lado Sul, tirar cadeiras do visitante, que normalmente são usadas como armas, assim aumentaremos em dois mil lugares a parte Sul, teremos um custo menor, equiparemos esse valor com o setor Norte, o mais barato do mundo, em torno de R$ 24,00”.

Histórico político no clube
“Fui vice-presidente pelo Roque Citadini. Nunca gostei de política, sempre fui associado e serei o único que vou continuar minha vida lá no clube depois de ser presidente, porque o clube é a minha vida, onde estão meus amigos. Quando eu participei da base, eu era muito assediado, eu jogava, foi convidado para Conselho, não entendia muito da política, mas só fui convidado porque eu arrastava voto para a situação. Quando fui para base e comecei a entender a política, procurei me afastar, acabei me desligando, entreguei meu cargo para o Roberto (de Andrade), não concordava, acabei assinando impeachment contra o Roberto, isso tem seis anos. Preferi me afastar e o Roque me chamou para se r vice e aceitei”.

Prazo para colocar projeto em prática
“60% em um ano e meio (sobre as obras no Parque São Jorge). Assim que eu sentar na cadeira, vamos estar com ele (projeto) montado e apresentar para o Conselho, que vai decidir, mas tenho certeza que o Conselho não vai negar isso. É o que temos do arquiteto. Quanto as dívidas, esse problema todo, essa área jurídica, compliance, um CEO no financeiro, para dar credibilidade e sair dessa situação o mais rápido possível. Tenho certeza que em muito menos tempo do que se imagina o Corinthians voltará para o patamar que não deveria ter saído”.

Valor dos ingressos
“Temos um grupo de especialistas da USP que está trabalhando nisso pra gente, equalizando no que podemos chegar de valor. Norte e Sul vai permanecer mais ou menos dentro disso, o Oeste vai diminuir de 20 a 30%, mas onde mexeremos mais é no setor Leste, expandir mais ao povo. Me identifico com isso, também estou pensando em mim, porque o Corinthians só é o que é graças ao torcedor”.

Dívida x Títulos
“É ridículo eu, como corintiano, ter de ouvir falar de um candidato a presidente de ficar quatro ou cinco anos sem ganhar título. O Corinthians é muito forte pra tudo isso. Todo mundo sabe que um time não se faz só com dinheiro. Time de futebol se faz em vestiário, com harmonia, amizade, isso faz com que todos suem a camisa, joguem com raça. Teremos um time competitivo, temos a torcida mais fiel do mundo, que empurra sempre, haja vista os últimos três campeonatos. Nosso profissional precisa de pessoas mais qualificadas, que entendem mais. Nós não sabemos o que está acontecendo. Teve uma entrevista do Tiago Nunes em que ele disse que o Cifut estava sucateado, disse que a base não conversa com profissional, queremos entender e ninguém falará mais alto que a marca. A gente terá, sim, um time competitivo, teremos um futebol forte”.

Risco de rebaixamento
“Claro que não vamos cair de forma alguma, por mais que não esteja numa condição boa, tem times piores. Não estou preocupado com isso. Digamos que se acontecesse um acidente, o que traz patrocínio é a marca, não é a Série A ou B, é a marca. Dos mais de 30 milhões e corintianos, 75,6% são consumidores. O pior crescimento de um patrocinador nosso foi de 30%. E tenho certeza que o Corinthians não vai sair da Série A”.

Novo técnico
“Primeiro que não deveria chegar a essa situação, deveria existir um planejamento pra isso. Uma partida colocar um auxiliar, cuidar de um jogo, tudo bem, mas já deveria ter um planejamento para o próximo (técnico). Ele (Andrés) que faça, a responsabilidade é dele, não estamos lá dentro, estamos aqui fora, é responsabilidade dele. Ele que tem que contratar um técnico para o fim do campeonato, isso tem que ser feito. A partir daí, o próximo presidente que faz as regras”.

Como sanar dívidas
“A gente sabe que ainda vai ter muitas surpresas, sabemos que não é só isso. Eu tive empresa por 30 anos e nunca tive um funcionário na Justiça. Por isso que a primeira coisa que eu quis foi montar um compliance, por isso fomos buscar um advogado com expertise, a gente já está estudando bastante, controlando, para não ter uma surpresa maior. Temos que gastar só o que arrecada, chamar os credores, negociar tudo isso, entender todo esse déficit, chamar, negociar. Isso vai ser supertranquilo, já estamos fazendo isso”.

Equipe Sub-23
Não há necessidade, não temos nem torneio pra isso. Sou adepto, desde que exista torneio, isso dá formação, experiência pro atleta chegar formado no profissional. Sou do tempo do aspirante, tinha as preliminares. Desde que tenha torneio, não teria problema. Mas, hoje, do jeito que está, não há necessidade, um gasto enorme. Esse ano já contratou nove jogadores para o Sub-23 e renovou 11 contratos. Por que, se não tem torneio? É um gasto desnecessário”

Promessa de cargos
“As pessoas precisam falar a verdade. O desespero bateu na porta e estão oferecendo cargo pra todo mundo. Ninguém na minha gestão tem cargo, estamos anunciando vices na terça, quem ajudar a gente a ganhar vai ajudar a administrar, desde de que tenha expertise no departamento, tem que ter o conhecimento do departamento para nos ajudar a sair dessa situação. Não quero fatiar departamento. Daremos um choque de gestão jamais visto. Ainda não temos (diretor de futebol), estamos pensamentos, estamos pesquisando. Tenho um nome para gerente de futebol, estava conversando com ele, mas ainda não vamos anunciar”.

Votação das contas de 2019
“Não vai interferir muito na nossa gestão, já está num final de mandato, isso vai mostrar que o Corinthians está passando por uma transição muito boa, não vai ter problema. Hoje tem que se reprovar as contas”.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Deixe seu comentário


×
Quer receber notícias do Corinthians?