Philippe Coutinho avisa que se sente à vontade na função de Neymar

São Paulo , SP
08/10/2016 20:21:55 — 08/10/2016 21:57:19

Em: Brasil, Eliminatórias Copa do Mundo, Futebol
Meia-atacante ocupa a ponta esquerda quando está defendendo o Liverpool (foto: Pedro Martins/Mowa Press)
Meia-atacante ocupa a ponta esquerda quando está defendendo o Liverpool (foto: Pedro Martins/Mowa Press)

O meia-atacante Philippe Coutinho enfim poderá ganhar a oportunidade de jogar na posição onde se sente mais à vontade, também na Seleção Brasileira. Acostumado a atuar na ponta esquerda quando está a serviço do inglês Liverpool, o jogador é candidato a ocupar o setor contra a Venezuela, na terça-feira, em Mérida, porque o atacante Neymar cumprirá suspensão.

“Jogo pela esquerda no meu clube. Caso seja o escolhido para jogar ali, com certeza estarei adaptado”, avisou Coutinho, sorridente, antes de ressalvar que não escolhe posição em meio às Eliminatórias para a Copa do Mundo. “Jogar é sempre bom, em qualquer lugar. Mas a esquerda é onde jogo sempre. Consequentemente, fico mais à vontade ali”, repetiu.

Coutinho era reserva no início da trajetória de Tite pela Seleção Brasileira, justamente por causa da concorrência de Neymar. Para virar titular a partir da goleada sobre a Bolívia, na quinta-feira, na Arena das Dunas, ele precisou se conformar em ser deslocado para a ponta direita, barrando Willian da equipe.

“Tenho uma disputa sadia com o Willian. O grupo está unido. Com essa opção de eu ir para a esquerda agora, poderemos até jogar juntos. As coisas acontecem muito rapidamente no futebol”, observou Coutinho. “Mas não sei nem se vou jogar. Quem decide é o treinador. Se tiver a oportunidade, darei o meu melhor. Só o fato de estar aqui já é um privilégio muito grande”, discursou.

Philippe Coutinho aproveitou o assunto para também amenizar a ausência de Neymar contra os venezuelanos. “Ele é um craque, o cara que decide os jogos. Com certeza, é uma perda significativa. Só que todo o grupo é qualificado. Aqui, a responsabilidade é dividida entre todos”, afirmou.