Coutinho coloca goleada como exemplo e se rende a Everton - Gazeta Esportiva
Copa América Copa América

No último sábado, o Brasil enfim apresentou um bom futebol na Copa América, ao bater o Peru por 5 a 0 na Arena Corinthians. Em entrevista coletiva nesta segunda-feira, o meia Philippe Coutinho foi questionado sobre a possibilidade da Seleção Brasileira manter o nível apresentado diante da equipe dirigida por Ricardo Gareca.

“Bom, o terceiro jogo contra o Peru, com certeza é o que a gente quer. A partir daí a gente quer evoluir, continuar do jeito que foi o jogo. Jogando bem, a gente acertou um pouco o que vinha faltando nos outros jogos. É tomar como exemplo e continuar assim”, afirmou o jogador.

Coutinho tem sido o homem das bolas paradas do Brasil. O atleta comentou sobre as exigências de Tite no fundamento, e que está procurando evoluir a cada dia no quesito.

“Tem que estar todo mundo preparado, a gente treina bastante. Professor Tite frisa bem nesses detalhes, da batida, do escanteio, que a gente tem que estar concentrado, porque gera gols tanto a favor quanto contra. Isso que venho tentando fazer nos treinamentos. No último jogo vieram algumas boas batidas. Sempre procuro melhorar nessas batidas e realmente gera gols”, emendou.

Desde a estreia diante da Bolívia, o atacante Everton, do Grêmio vem mostrando um grande futebol, tanto que foi titular contra o Peru. Coutinho se rendeu ao jogador do Tricolor Gaúcho e fez elogios ao atleta, dizendo inclusive que o camisa 19 está pronto para atual em qualquer clube.

“Cara que está superpreparado, tem qualidade, jogada individual, sempre busca o gol e muito agudo. Com certeza está preparado para jogar em qualquer time do mundo”, disse o meia.

Nesta quinta-feira, a Seleção Brasileira vai enfrentar o Paraguai, às 21h30 (horário de Brasília), na Arena do Grêmio em Porto Alegre, pelas quartas de final da Copa América. O vencedor do confronto irá pegar Venezuela ou Argentina.



O Chile desperdiçou a chance de terminar na liderança do grupo C da Copa América ao ser derrotado pelo Uruguai, nesta segunda-feira, no Maracanã. O meia Aránguiz destacou a dificuldade do confronto contra os uruguaios, mas pregou foco nas quartas de final, contra a Colômbia.

“Foi uma partida muita disputada, com poucos trocas de passes. nenhuma das equipes teve muitas chances de gol. Não foi uma partida que a gente gosta, muita travada. Agora é descansar porque amanhã vamos pensar na Colômbia”, disse o armador.

O técnico Reinaldo Rueda poupou alguns titulares no Maracanã. Um deles, o meia Vidal, ressaltou que a derrota não vai abalar os chilenos e minimizou sua ausência contra o Uruguai.

“Não vai mudar muita coisa. A gente sabia que o primeiro lugar nos daria um dia a mais de descanso, mas não aconteceu. O treinador optou por deixar alguns jogadores que fora para não correr risco de lesão. Vamos tranquilos enfrentar a Colômbia”, declarou o treinador.

Com a derrota diante dos uruguaios, o Chile avançou na segunda posição do grupo C e vai encarar, nas quartas de final da Copa América, a Colômbia, nesta sexta-feira, na Arena Corinthians, em São Paulo.



Apesar do desempenho irregular, pontuação do Brasil é a melhor em 20 anos (Foto:Djalma Vassão/Gazeta Press)

Depois de muitas críticas recebidas pelo futebol apresentado nas duas primeiras partidas da Copa América, a Seleção Brasileira emplacou uma goleada de 5 a 0 sobre o Peru e fechou a fase de grupos na primeira colocação da chave A, com sete pontos somados. O Brasil não tinha uma pontuação tão boa quanto essa na fase inicial desde 1999, quando conquistou nove pontos.

Há exatos 20 anos, a Seleção disputou a Copa América sediada no Paraguai e venceu as três partidas na fase de grupos, contra Venezuela, Chile e México. Naquela edição, inclusive, o Brasil sagrou-se campeão depois de derrotar o Uruguai na final por 3 a 0, com dois gols de Rivaldo e um de Ronaldo.

00

Desde então, o melhor desempenho na fase de grupos não ultrapassou os seis pontos antes da edição de 2019. Com exceção do ano de 2011, no qual a Seleção empatou dois jogos e perdeu outro, o Brasil perdeu uma partida nas cinco primeiras fases das outras edições.

A única vez que a Seleção não avançou para as quartas de final foi no ano de 2016, na Copa América Centenário, sediada no Peru. Naquela edição, o Brasil empatou em 0 a 0 com o Equador, venceu o Haiti por 7 a 1 e perdeu para o Peru por 1 a 0. Depois do fim da competição, o então treinador Dunga e, logo na sequência, Tite foi anunciado como novo comandante.

Confira a campanha do Brasil nas primeiras fases das últimas Copas Américas

2019 – 7 pontos

2016 – 4 pontos

2015 – 6 pontos

2011 – 5 pontos

2007 – 6 pontos

2004 – 6 pontos

2001 – 6 pontos

1999 – 9 pontos

A Seleção Brasileira voltará a entrar em campo na próxima quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), na Arena Grêmio, em Porto Alegre, diante do Paraguai, em confronto das quartas de final.



Por ocasião da Copa América Brasil 2019, realizada neste mês, a Japan House e o Consulado-Geral do Japão em São Paulo promovem uma série de atividades especiais relacionadas ao universo esportivo, como transmissões ao vivo dos jogos do time japonês e palestras sobre o panorama do futebol no Brasil e no Japão, sedes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos.

Nesta quarta-feira, dia 26 de junho, às 19h (de Brasília), acontecerá a palestra “Os atrativos do futebol japonês e brasileiro pelos jogadores”. Mediada por César Sampaio, o painel discute novas formas de intercâmbio entre o Brasil e Japão por meio do esporte e trocas de experiências.

A sessão conta também com a presença de Washington Stecanela Cerqueira, o “Coração Valente”, o técnico Levir Culpi, o ex-atacante Careca, o ex-meia Bismarck e o japonês Yasutoshi Miura.

Japan House promove encontro entre ex-jogadores (Foto: Rogério Cassimiro)

Transmissões dos jogos da Seleção Japonesa na Copa América 2019 – Sala de Seminários

Dia 24 de junho, às 20h (de Brasília) – Equador
Participação Gratuita
Palestra “Os atrativos do futebol japonês e brasileiro pelos jogadores e técnico”
Com César Sampaio, Bismarck, Careca, Washington Stecanela Cerqueira (ex-jogadores da Seleção Brasileira), Yasutoshi Miura (ex-jogador da Seleção Japonesa) e Levir Culpi (técnico)

Dia 26 de junho, às 19h (de Brasília), Sala de Seminários
Participação Gratuita
Tradução simultânea português/japonês
Ingressos distribuídos uma hora antes do evento na recepção.
Japan House São Paulo – Avenida Paulista, 52

Horário de funcionamento:
Terça-feira a Sábado: das 10h às 20h
Domingos e feriados: das 10h às 18h
Entrada gratuita



O Uruguai conquistou um importante resultado nesta segunda-feira ao vencer por 1 a 0 o Chile, no Maracanã. O resultado foi fundamental, pois classificou os uruguaios como primeiro colocado do Grupo C da Copa América. Autor do gol da vitória da Celeste, o atacante Cavani ressaltou que o objetivo da equipe foi alcançado.

“Estamos contentes pelo resultado. Trabalhamos com o intuito de conquistar a vitória e ser o primeiro colocado. Estávamos em um grupo forte e enfrentamos um grande adversário. O Chile vinha de ótimos jogos contra Japão e Equador. Foi um jogo muito travado e sabíamos que teríamos poucas chances de gol. Nosso time atuou bem, com todos em suas posições. Conseguimos o gol nos minutos finais para chegar a vitória”, disse.

Cavani destacou que os uruguaios só vão pensar nas quartas de final a partir desta terça-feira. “Agora é desfrutar esta vitória porque a partir de amanhã [terça-feira] vamos começar a pensar no próximo adversário. Teremos pela frente mais um grande time que é o Peru”, declarou.

A primeira colocação do grupo trouxe outro fator positivo para o Uruguai. A equipe só volta a campo no sábado, contra o Peru, em Salvador. Caso estivesse avançado como segundo, o adversário seria a Colômbia, na sexta-feira.



Rueda lamentou revés (Foto: Carl de Souza/AFP)

Na noite desta segunda-feira, o Chile sofreu um revés para o Uruguai por 1 a 0, no Estádio do Maracanã, pela terceira e última rodada da fase de grupos da Copa América, e perdeu a liderança do Grupo C. O treinador da seleção chilena, Reinaldo Rueda lamentou a derrota, mas já pensa no próximo adversário.

“Nós queríamos vencer para terminar o grupo na liderança. Nós merecíamos isso e queríamos a vitória para ter mais um dia de descanso. Agora temos que recuperar a equipe para o jogo intenso que vamos ter com a Colômbia”, disse.

Vice-líder do grupo, o atual bicampeão da competição continental terá pela frente a Colômbia, única seleção 100% na Copa América. O jogo será nesta sexta-feira, às 20h (de Brasília), na Arena Corinthians.

Ainda sobre o revés, Rueda elogiou o desempenho dos chilenos, enfatizou o controle de jogo da equipe, porém destacou os erros decisivos.

“Foi um jogo bem controlado pelo Chile, não terminamos algumas situações, mas foi um grande jogo. Falhamos no gol do Uruguai e esperamos que isso sirva de lição”, encerrou Rueda.



O técnico da seleção equatoriana, o colombiano Hernán Darío Gómez, elogiou a entrega de seus jogadores no empate por 1 a 1 com o Japão, resultado que eliminou ambos os times da Copa América, na noite desta segunda-feira, no Mineirão.

“Não acho que o Japão tenha sido superior a nós, vi emoções de ambos os lados. Os rapazes correram, se entregaram e não há nada para culpá-los”, disse o comandante, contratado em agosto de 2018 para iniciar o processo de reformulação no Equador.

“Não tenho o costume de revelar as dificuldades. A equipe mostrou algumas coisas. O Equador está buscando uma equipe, uma reestruturação. Infelizmente, não podemos jogar a quarta partida. Nesses dois jogos (Chile e Japão) não decepcionou”, avaliou.

Com as derrotas para Uruguai (4×0) e Chile (2×1), somadas ao empate com o Japão (1×1), o Equador encerrou sua participação na Copa América no último lugar do Grupo C, com um ponto ganho. Questionado sobre seu futuro na seleção, Gómez descartou pedir demissão e projetou as Eliminatórias para o Mundial do Catar, em 2022.

“Se me mandarem embora, eu tenho que ir. Não passa pela minha cabeça (pedir demissão). Há um ano havia seleção? Não havia, depois das Eliminatórias também não havia seleção. Nenhum dos dirigentes me contratou e me disse que dependia do que seria feito na Copa América. Se fosse assim, não aceitaria. Eu não sou desses que entregam o cargo”, avisou.

“Estou grato com os meninos, porque são trabalhadores, se entregaram. Se as coisas não funcionaram aqui, elas vão funcionar nas Eliminatórias, seja comigo ou com outro (técnico)”, concluiu Hernán Darío Gómez.



Cavani fez o gol da vitória (Foto: Mauro Pimentel/AFP)

Na noite desta segunda-feira, o Uruguai conquistou um importante resultado ao derrotar o Chile por 1 a 0, pela terceira e última rodada da fase de grupos da Copa América. Assim, a Celeste cravou a liderança do Grupo C, com sete pontos, e avançou às quartas da competição.

O gol do triunfo da seleção uruguaia foi marcado aos 37 minutos da etapa final, com Edinson Cavani. Após o jogo, o atacante comemorou a vitória. “Nós precisávamos vencer. Nós queríamos passar em primeiro no grupo, sem saber o que vinha depois, e deixar uma boa imagem e continuar com essa atitude que vínhamos mantendo até agora”, disse o uruguaio, em entrevista ao Sportv.

O jogador do Paris Saint-Germain também avaliou o desempenho da equipe. “Foi uma partida muito difícil, o Chile é muito dinâmico e eu acredito, que jogando bem ou não, mas sempre com a mesma atitude levamos em frente essa partida”, comentou.

Este foi o segundo gol de Cavani na Copa América deste ano. “Para mim, todos os gols significam o mesmo. Fazer um gol com esta camisa é o mais lindo que pode acontecer com qualquer jogador, de modo que todos os gols são iguais para mim. Gols são importantes porque nos dão a vitória e nos ajudou a passar em primeiro. As partidas passam, outras vêm”, enfatizou o atacante.

O adversário do Uruguai na próxima fase será o Peru, neste sábado, às 16h (de Brasília), na Arena Fonte Nova, em Salvador. “Precisa trabalhar sempre para chegar no próximo jogo da melhor maneira”, concluiu Cavani.



O duelo entre Equador e Japão, disputado nesta segunda-feira, no Mineirão, registrou o pior público da primeira fase da Copa América. Foram apenas 2.106 pessoas que pagaram para assistir ao empate por 1 a 1, resultado que definiu o Paraguai como rival do Brasil nas quartas de final do torneio.

O público total divulgado pela organização foi de 9.729 torcedores. Portanto, 7.623 pessoas tiveram acessos ao estádio, incluindo pessoas que trabalharam na partida e os ingressos distribuídos pelo Comitê Organizador Local (COL). A renda foi de R$ 301.525,00.

A segunda pior marca também pertence ao Mineirão. No último sábado, apenas 4.640 torcedores pagaram para ver a Venezuela derrotar a Bolívia por 3 a 1. Na ocasião, o público não pagante foi de 7.106 pessoas, para uma renda de R$ 631.605,00. O público total foi de 11.746 espectadores, portanto.

Líder do Grupo A com sete pontos, a Seleção Brasileira enfrenta o Paraguai por uma vaga nas semifinais na próxima quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), na Arena Grêmio. Veja aqui todos os confrontos das quartas de final da Copa América 2019.



O Uruguai venceu por 1 a 0 o Chile, nesta segunda-feira, no Maracanã, pela Copa América. Com o resultado, os uruguaios terminaram a Primeira Fase como líderes do grupo C, com sete pontos, um a frente dos chilenos, que ficam com a segunda posição.

A partida teve altos e baixos e mudanças de controle durante os 90 minutos. O gol da vitória uruguaia veio somente aos 36 minutos do segundo tempo, com Cavani.

Nas quartas de final, a Celeste terá pela frente o Peru, no sábado, na Fonte Nova, em Salvador. No dia anterior, o Chile vai enfrentar a Colômbia, na Arena Corinthians, em São Paulo.

O jogo – As duas equipes iniciaram o confronto buscando o ataque, mas sofrendo com a marcação adversária. O Chile criou a primeira chance de gol aos seis minutos, em chute de Alexis Sánchez que passou sobre o travessão.

O lance animou os chilenos, que passaram a dominar a partida e quase abriram o placar aos dez minutos. Aránguiz recebeu passe na entrada da área e chutou para boa defesa de Muslera.

Os sustos fizeram o Uruguai melhorar no jogo. Tanto que a primeira boa chance uruguaia aconteceu aos 17 minutos. Betancur aproveitou rebote na entrada da área e chutou próximo ao gol. Depois, foi a vez de Arrascaeta tentar e levar perigo a Arias.

A partir dai, a Celeste passou a ter o controle do jogo e desperdiçou a melhor oportunidade de marcar aos 21 minutos. Luís Suárez foi lançado na área e tentou driblar Arias. O goleiro fechou bem o ângulo e impediu a finalização do atacante.

Depois disso, o duelo voltou a ficar equilibrado, com as duas equipes em busca do ataque, mas levar perigo ao adversário. Com mais posse de bola, o Uruguai viu Hernandez quase marcar para o Chile, mas respondeu aos 41 minutos. Após cobrança de escanteio, Cáceres cabeceou pela linha de fundo. O lance foi o último de mais relevante até o fim da etapa inicial.

O segundo tempo começou movimentado, com cada seleção tendo uma chance de gol antes dos dois minutos. Primeiro, Godín aproveitou escanteio, mas cabeceou em cima de Arias. No lance seguinte, o Chile assustou em chute de Alexis Sanchéz.

Só que depois dos lances iniciais, o jogo diminuiu de ritmo. Mesmo com as duas equipes voltadas ao ataque, ambas pecavam nas finalizações. Os uruguaios era mais objetivos, mas esbarraram em chutes fracos em cima de Arias.

Com o passar do tempo, o duelo ficou mais físico, com muitas trombadas e entradas mais duras. Somente aos 23 minutos, o Chile levou perigo. Após cobrança de escanteio, Diaz cabeceou, mas viu Giménez salvar de cabeça em cima da linha.

Depois de um período sem chegar próximo da área, o Uruguai chegou ao gol aos 36 minutos. Cavani aproveitou cruzamento e cabeceou no canto, sem chance para Arias.

Nos minutos finais, o Chile ainda esboçou uma pressão em busca do empate. No entanto, o Uruguai se fechou e impediu qualquer boa jogada por parte do adversário para sair do Maracanã com a vitória e a liderança do grupo C.

FICHA TÉCNICA
CHILE 0 X 1 URUGUAI

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data: Segunda-feira, dia 24 de junho de 2019
Horário: 20h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (BRA)
Assistentes: Marcelo Van Gasse (BRA) e Kleber Lúcio Gil (BRA)
VAR: Wilton Sampaio (BRA)
Renda: R$ 11.749.970,00
Público: 49.275 pagantes
Cartão amarelo: Giovanni González (Uruguai)
GOL
URUGUAI: Cavani, aos 36min do segundo tempo

CHILE: Arias; Diaz, Maripán, Medel (Lichnovsky) e Jara (Castillo); Opazo, Pulgar e Aránguiz; Hernandez, Vargas (Fernandes) e Alexis Sánchez
Técnico: Reinaldo Rueda

URUGUAI: Muslera, Cáceres, Godín, Giménez e Giovanni González; Valverde (Coates), Bentancur, Arrascaeta (Rodriguez); Lodeiro (Nández), Luis Suárez e Cavani
Técnico: Óscar Tabárez