Presidente do Atlético-MG defende austeridade: "Pagar jogador na Fifa não dá ibope"

São Paulo, SP

14-04-2020 16:54:26

O presidente do Atlético-MG Sérgio Sette Câmara voltou a destacar a austeridade como o principal eixo de sua administração. Para o dirigente, o clube sofre atualmente por dívidas contraídas em gestões passadas, e pagá-las não gera popularidade imediata.

“Desde que assumi o Atlético, fizemos quase R$ 50 milhões em pagamentos na Fifa. Temos demonstrado responsabilidade de gestão. O Atlético não é clube que dá calote, o Atlético cumpre seus compromissos”, disse em entrevista à Rádio Itatiaia.

“Já estamos há algum tempo fazendo um trabalho no Atlético de reestruturação, vocês sabem disso. Quem acompanha mais de perto o Atlético sabe o quanto eu tenho trabalhado para diminuir nossa dívida. Recebi herança grande de dívida do passado e estou tentando reajustar", completou

Na entrevista, Sette Câmara revelou que o Galo ainda tem pendência pelas compras de Cáceres, do Boca Juniors, em 2010; Diego Tardelli, do Al-Gharafa, em 2013; Douglas Santos e Maicosuel, da Udinese, em 2014; e Otero, do Huachipato, em 2017.

"Não é fácil. É como o governante que faz esgoto: ninguém sabe porque está debaixo do asfalto. Sair pagando jogador na Fifa não dá ibope. O que dá ibope é sair contratando jogador, não pagar e ganhar título. Tem muita gente que faz isso, mas não vai ser o meu caso”, seguiu

“Tenho uma gestão séria, correta, estamos tentando ajustar as contas do Atlético a duras penas devido às dificuldades que estamos encontrando. Tentamos manter um time razoável nesse período. Agora que estávamos começando a dar uma respirada, veio essa questão do coronavírus. Mas quando for embora, tenho certeza que nossa torcida nos ajudará bastante. Vamos voltar a respirar no fim do ano, em uma situação bem equilibrada”, concluiu o dirigente.

Deixe seu comentário