Luan planeja aposentadoria no Galo e futuro como “técnico maluco”

Do correspondente Gustavo Aleixo - Belo Horizonte,MG

08-07-2016 08:26:55

Luan: "Não me vejo jogando em outro time ao não ser no Galo" (Foto: Bruno Cantini/Atlético MG)
Luan: "Não me vejo jogando em outro time ao não ser no Galo" (Foto: Bruno Cantini/Atlético MG)

Falar sobre aposentadoria, quando ainda se tem 25 anos, não é algo lá muito corriqueiro. Mas o atacante Luan não é desses jogadores que costumam seguir o caminho óbvio nas entrevistas coletivas. Longe disso.

Plenamente identificado com o Atlético-MG, o “menino maluquinho”, que está em fase final de recuperação de uma cirurgia no joelho direito, destacou, nessa quinta-feira, o desejo precoce de encerrar a carreira vestindo a camisa atleticana e salientou que, inclusive, chegou a rejeitar propostas financeiras mais vantajosas para permanecer no Galo.

“Não me vejo jogando em outro time ao não ser no Galo. Sendo sincero, não estou falando em questão financeira. Já tive propostas várias vezes para poder ganhar mais. Isso nunca foi divulgado, mas junto com minha família e meu empresário a gente sempre estava ciente que aqui era o melhor lugar para mim, para minha família, respeitando o torcedor pelo carinho, o presidente, que era o Kail e agora é o Daniel (Nepomuceno). A pedido do meu empresário, pensei bem e sabia que ia ter outra lesão, mas a preferência foi ficar no Galo, porque minha história aqui é muito bacana, muito linda. Meu objetivo é encerrar minha carreira aqui”, destacou.

Se não bastasse falar em aposentadoria tão cedo, Luan foi além e afirmou que, após pendurar as chuteiras, irá ser treinador. Mas se engana quem acredita que o perfil “maluco” será a marca do atacante apenas dentro das quatro linhas.

“Já deixei claro que quero ser técnico daqui há alguns anos, um técnico maluco, mas quero ser”, colocou Luan, que perguntado sobre a escalação do Galo para o duelo contra Flamengo, no próximo domingo, deixou tal incumbência para um futuro distante.

“Deixa para quando eu ser técnico. Meu time vai ter dez atacantes (risos). Mas falando sério, o Marcelo (Oliveira) é um grande treinador, uma grande pessoa, está colocando seu trabalho no dia a dia e o time vem numa crescente muito boa. É só torcer para os companheiros, e a gente está no caminho certo. Se Deus quiser, que no final do ano a gente possa comemorar e que venham coisas boas para a gente”, completou.

Deixe seu comentário