Futebol Internacional

Presidente do Atlético diz ter provas em negociação de Griezmann com Barça

São Paulo , SP
13/07/2019 12:21:42

Em: Atlético de Madrid, Barcelona, Futebol, Futebol Espanhol, Notícias

A novela envolvendo a negociação entre Antoine Griezmann e Barcelona não teve o capítulo final na última sexta-feira com o anúncio do jogador. O Atlético de Madrid não aceitou o valor pago na multa do francês e, agora, diz ter uma prova de que as partes tinham um pré-acordo antes de 1º de julho.

Enrique Cerezo diz ter prova de que havia um pré-acordo entre as partes antes do dia 1º de julho, quando a multa ainda era 200 milhões de euros (Foto: Gabriel Bouys/AFP)

“Se o clube emitiu esse comunicado é porque tem provas. Devemos analisar e, se realmente temos provas, exigiremos a quantidade que considerarmos necessária. Estou decepcionado com a atitude do jogador, queria sair e não nos disse nada até o último minuto. O Barcelona fez uma grande contratação. Não queríamos que Griezmann saísse, mas ele tomou essa decisão. Veremos se é correta ou não”, disse o presidente do Atleti, Enrique Cerezo, à rádio RAC1.

Após uma longa novela na janela de transferências europeia, o Barcelona, enfim, anunciou a contratação de Antoine Griezmann após pagamento da multa de 120 milhões de euros (cerca de R$505 milhões). É válido lembrar que o valor baixou de 200 milhões para 120 milhões de euros no último dia 1º de julho.

No entanto, para o Atlético de Madrid, não é bem assim. Após o anúncio, o clube colchonero divulgou um comunicado oficial cobrando um valor maior pela venda do atacante francês.

“O Atlético de Madrid considera que o montante depositado é insuficiente para cumprir a cláusula de rescisão, uma vez que é óbvio que o compromisso do jogador com o Barcelona foi fechado antes da citada cláusula ter sido reduzida de 200 a 120 milhões de euros”, escreveu o clube.

Assim, o Atlético de Madrid cobra o recebimento de mais 80 milhões de euros (cerca de R$336 milhões) pela rescisão contratual de Griezmann, informou que já lançou mão de recursos judiciais para resolver o caso.