Futebol

Ganhando cada vez mais projeção, Athletico Paranaense completa 96 anos

Rafael Silva - São Paulo , SP
26/03/2020 08:30:48 — 27/03/2020 13:14:00

Em: Athletico-PR, Futebol, Gazeta Press, Notícias, Times

O Athletico Paranaense completa nesta quinta-feira 96 anos. Com propostas inovadoras, o Furacão vem ganhando projeção sul-americana e tentando se tornar um dos principais clubes do continente.

Vindo das duas melhores temporadas de sua história, com as conquistas da Copa Sul-Americana em 2018 e da Copa do Brasil em 2019, o Rubro-Negro paranaense tenta unir a estrutura de centro de treinamento e atenção com a base diretamente com os resultados em campo. O torcedor se mostra cada vez mais animado. Sentimento ratificado pelo conhecido cartola e presidente do Conselho Deliberativo do Athletico, Mário Celso Petraglia, que prevê um título mundial nos próximos anos.

Em 2019, o Athletico conquistou a Copa do Brasil pela primeira vez (Foto: Reprodução/ Athletico-PR)

A crescente do Furacão não é de agora. No final da década de 90, a instituição enfim conseguiu construir seu próprio estádio, a Arena da Baixada. Apenas dois anos após a inauguração do Joaquim Américo Guimarães, veio a conquista do Campeonato Brasileiro, em 2001.

Nos anos 2000, apesar dos períodos de instabilidade, poucas vezes o Athletico flertou com a zona de rebaixamento na elite do futebol brasileiro e chegou ao vice-campeonato da Libertadores em 2005. O grande baque foi em 2011, com a queda para a segunda divisão. Aos olhos dos athleticanos, foi um mal necessário. Desde a volta na temporada seguinte, o clube se solidificou de vez no cenário nacional.

A Arena da Baixada passou por reformas para receber quatro jogos da Copa do Mundo de 2014 e hoje é o único estádio da América Latina a ter teto retrátil. Com capacidade para 40 mil espectadores, raramente o local é completamente lotado. Contudo, em 2014, o clube tinha pouco mais de 20 mil sócios e atualmente são mais de 35 mil.

Investindo na base e no CT do Caju, apontado como um dos melhores centros de treinamento do Brasil, o Athletico começa a colher seus frutos- atual bicampeão paranaense com a equipe aspirante.

No final de 2018, às vésperas da final da Copa Sul-Americana, a maior mudança da história. A instituição mudou a identidade visual, alterando o símbolo, e adicionou a letra “H” ao nome original. Inicialmente, as alterações geraram desconforto nos athleticanos, mas o sucesso dentro de campo deixou a discussão em segundo plano.

Foto: Reprodução/ Athletico-PR

Desde então, o Athletico Paranaense venceu a Copa Sul-Americana no mesmo ano e a Copa do Brasil no seguinte, as duas de forma inédita. Além das conquistas, a campanha na Libertadores em 2019 foi animadora, principalmente com a vitória de 3 a 0 sobre o gigante Boca Juniors na fase de grupos.

Nesta temporada, o início não é tão animador. Depois de perder sua principais peças na última janela de transferência, o Furacão aposta na contratação do treinador Dorival Júnior e na promoção de jogadores jovens para chegar o mais longe possível na Libertadores, brigar pela manutenção do título da Copa do Brasil e fazer uma boa campanha no Brasileirão. Até a pausa forçada pela pandemia do coronavírus, o Athletico já havia sido derrotado na final da Supercopa do Brasil para o Flamengo, avançou da fase no Campeonato Paranaense em segundo, e é o segundo colocado na chave C da Libertadores.

Com futuro promissor e caminhos convictos, os paranaenses festejam o 96º aniversário esperançosos.