São Silvestre

Mais Esportes/São Silvestre

Vice-campeão da São Silvestre mira Paris 2024: “Sonho de todo atleta”

01/01 07:00

Daniel Nascimento vive seu melhor ano como fundista profissional. O brasileiro de apenas 23 anos vem se destacando no cenário internacional e nesta sexta-feira foi vice-campeão da 96ª edição da São Silvestre, ficando atrás apenas do etíope Belay Bezabh. Seu objetivo maior, porém, são as Olimpíadas de Paris, em 2024.

Mesmo com a pouca idade, Daniel Nascimento já é dono da segunda melhor marca de um fundista brasileiro em provas de rua. Neste ano, em Valência, o brasileiro cravou 2h06min11s, um pouco acima de Ronaldo da Costa, que tem como melhor tempo 2h06min05s.

O grande sonho de Daniel são os Jogos de Paris pelo fato de não ter tido muito sucesso em Tóquio 2020. Neste ano, o brasileiro começou bem a maratona no Japão e chegou a correr lado a lado com a lenda Eliud Kipchoge, que garantiu o ouro olímpico, mas acabou desistindo da prova por conta de uma hipertermia.

Para ter mais sucesso nas próximas Olimpíadas, Daniel Nascimento pretende voltar ao Quênia para continuar sua preparação com os corredores locais. O brasileiro viajou ao país africano para absorver técnicas e costumes dos melhores corredores do mundo e vem provando que o investimento feito não foi em vão.

Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
Foto: Sergio Shibuya/Gazeta Press
(Foto: Divulgação/Luiz Doro Neto)
(Foto: Divulgação/Nicole Mingoranci/Gazeta Esportiva)
(Foto: Divulgação/Luiz Doro Neto)
Foto: Divulgação/Gazeta Espotiva

“Pensando em 2024, tenho que ficar na casa dos campeões, no Quênia, e com o foco nos Jogos Olímpicos, porque o sonho de todo atleta é chegar aos Jogos Olímpicos, representar bem o seu país e estar entre os três melhores do mundo”, disse Daniel.

Desta vez, porém, a tendência é que o corredor ganhe a companhia da namorada no país africano. Graziele Zarri terminou a São Silvestre de 2021 na sétima colocação e também pretende evoluir na “Terra da Corrida”.

“Estou focado mais na evolução, por ser um atleta jovem, por estar em um momento muito bom. Com sabedoria, disciplina, descanso e muito trabalho duro, tudo dará certo”, concluiu.