Gazeta Esportiva |

Serginho se encanta com quarta final seguida: “Difícil de acreditar”

Em Mais Esportes, Olimpíadas 2016, Olimpíadas Destaque, Vôlei
Publicado em 20/08/2016 01:17:56 Compartilhe
São Paulo , SP
Com a vitória sobre a Rússia, o líbero Serginho chega à quarta final olímpica seguida (Foto: CBV)
Com a vitória sobre a Rússia, o líbero Serginho chega à quarta final olímpica seguida (Foto: CBV)

Com a vitória por 3 sets a 0 sobre a Rússia, a Seleção Brasileira masculina de vôlei alcançou a quarta final consecutiva nos Jogos Olímpicos. Assim como o líbero Serginho, que participou do título em Atenas 2004 e dos vices em Pequim 2008 e Londres 2012. Com 40 anos, o atleta desacredita do feito conquistado na noite desta sexta-feira, no Maracanãzinho.

“É difícil porque só a gente sabe o que lutamos pra chegar aqui. Fazer quatro finais seguidas de Olimpíadas é muito pesado pra mim, sabe? É difícil de acreditar ter a minha idade conseguindo jogar de igual para igual com atletas mais jovens do que eu”, disse um emocionado Serginho ao canal Sportv.

A vitória sobre os russos, além de ter sido uma vingança pela derrota na final dos Jogos de Londres, coloca o Brasil frente a frente com a Itália na decisão do Rio 2016. Justamente a adversária no duelo pelo ouro em Atenas 2004, quando o time verde e amarelo conquistou o bicampeonato olímpico, já com Serginho no grupo de atletas. O confronto está marcado para este domingo, às 13h15 (de Brasília).

“Agora é descansar e fazer história dentro de casa. Esses moleques precisam fazer história”, acrescentou o líbero, elogiado pelo levantador e filho do técnico Bernardinho, Bruno, que revelou a força de Serginho, também, dentro dos vestiários.

“Tivemos uma reunião depois do jogo contra a França. Ele tocou o grupo com suas palavras. A gente sabe o quanto ele é guerreiro e importante pra nós. Um dos maiores atletas do esporte brasileiro. Sabemos que é a última (Ollimpíada) dele e vamos jogar por ele”, prometeu Bruninho.

“Precisamos descansar, nos desgastamos muito mentalmente, porque jogar contra um time desse (Rússia) desgasta muito fisicamente e mentalmente. Vamos deixar o coração pra sair com esse título, porque a gente merece pra caramba”, completou o levantador.

Comente