Gazeta Esportiva

Rossi critica Márquez e acusa espanhol de complô com Lorenzo

São Paulo, SP

08/11/15 | 20:22 - 08/11/15 | 20:26

Valentino Rossi não lidou bem com a perda do título da MotoGP. Neste domingo, após a etapa final de Valência, na qual o espanhol Jorge Lorenzo se sagrou campeão, o italiano voltou a tecer pesadas críticas a Marc Márquez. O hexacampeão acusou o garoto de 22 anos de armar um complô e exibir um desempenho oscilante, a fim de favorecer seu compatriota.

"Eu merecia o título. As coisas iam bem e eu tinha 18 pontos de vantagem, mas desde Montegi, aconteceu algo que ninguém poderia esperar. Márquez decidiu que eu não deveria ganhar o campeonato e se tornou o guarda-costas de Lorenzo", atacou o italiano. "São coisas que não deveriam acontecer no esporte. Foi muito feio o que Márquez fez nas últimas corridas."

Para o piloto da Yamaha, o Grande Prêmio da Austrália foi a decisivo para o desfecho do torneio. “A corrida que selou minha sorte foi em Philip Island. Ali poderia ter fechado a competição e ganhado de Lorenzo, porque era mais rápido, mas Márquez passou a ter um comportamento vergonhoso que eu não esperava. Eu o alertei sobre a situação, mas nada aconteceu", explicou.

Irritado com o garoto, Rossi forçou um toque com a moto do espanhol há duas semanas, no MotoGP da Malásia, e acabou não só derrubando o rival do veículo, mas obrigando-o a abandonar a prova. O italiano foi punido pela atitude e precisou largar da última posição em Valência.

Insatisfeito com vice, Rossi esculhambou os espanhóis Lorenzo e Márquez (foto: MotoGP)
Insatisfeito com vice, Rossi esculhambou os espanhóis Lorenzo e Márquez (foto: MotoGP)

"Quando eu soube que deveria largar em último, entendi que meu destino já estava escrito. Tinha um pouco de esperança, mas Márquez decidiu acabar seu trabalho", alfinetou o piloto, defendendo que o espanhol facilitou o trabalho de Lorenzo neste domingo, e evitou ultrapassá-lo na reta final.

"As últimas voltas foram penosas. Márquez vinha mais rápido - lembrando que ele ataca sempre, e já conseguiu fazer dez ultrapassagens em uma volta. Ele evitou a ultrapassagem e queria que eu visse, porque o fez com muita clareza. Que posso dizer? Tenho que aceitar o que passou. Estou muito contente porque hoje não restaram mais dúvidas sobre os planos de Márquez e espero que as pessoas tenham visto o que aconteceu. Ele está rindo da cara de todo mundo", censurou.

Rossi também não economizou críticas a Lorenzo. Apesar de reconhecer que o companheiro de Yamaha foi "mais rápido na segunda metade da temporada", o italiano ficou irritado com a postura do espanhol após a prova na Malásia, quando tentou interferir no recurso do piloto para não largar do lugar menos favorecido do grid.

“Lorenzo é um piloto muito bom, teria sido legal lutar de igual para igual com ele. Mas, para mim, ele não pode estar feliz de ter vencido desta maneira. Não sei se Márquez protegeu Lorenzo porque ambos são espanhóis, mas é triste ver o que ele fez. Lorenzo jamais faria isso, mas pelo comportamento dele após a Malásia, merece o mesmo tratamento de Márquez. Pode ter ganhado na pista, mas teria sido mais inteligente se tivesse ficado quieto", criticou o vice-campeão. "Eu poderia ter perdido o Mundial para Jorge de forma normal e teria doído, mas assim é mais triste."

O campeão, por sua vez, recorreu às estatísticas para rebater os ataques de Rossi e demonstrar que levantou a taça com propriedade. "É evidente que eu mereci este título mundial. Se você olhar os números e comparar com o meu rival, verá que eu o superei em tudo. Vitórias, poles, voltas rápidas, voltas na liderança, lideranças em treinos livres... ele só me superou em número de pódios e na regularidade", defendeu-se o mais novo tricampeão, sem convencer ao parceiro de equipe.

"Estou certo de que se juntaram contra mim, assim como aconteceu no futebol", disse Rossi, referindo-se ao "acordo nórdico", combinação de resultado entre Suécia e Dinamarcanar para eliminar a Itália da Eurocopa de 2004. "É uma vergonha, porque isso nunca tinha acontecido na MotoGP", finalizou o italiano, aplaudido pela imprensa de seu país.

Deixe seu comentário