Falta de simulador deve prejudicar Sauber na Bélgica, reconhece Nasr

São Paulo, SP

11-08-2015 14:15:20

A ausência de um simulador pode prejudicar a Sauber no Grande Prêmio da Bélgica. Pelo menos é o que pensa o brasileiro Felipe Nasr. Sem o equipamento, a equipe suíça não terá meios de fazer testes e coletar dados seguindo as novas regras da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) em relação aos procedimentos de largada da Fórmula 1, que passam a valer no circuito de Spa-Francorchamps.

“A ausência do simulador é um favor negativo, sem dúvida, e a equipe está consciente disso”, explicou o brasileiro ao Autosport. “É por isso que estamos tentando pensar em alguma solução para o ano que vem. Só pode ser positivo para um piloto definir sua mente para uma corrida, preparar suas técnicas, linhas de corrida e de frenagem.”

A FIA determinou que a partir da corrida na Bélgica, no dia 26 de agosto, os pilotos serão os únicos responsáveis pela largada. Não poderão receber ajuda nem fazer alterações no carro a partir da saída da garagem até o momento em que as luzes se apagam no grid. A mudança exige prática e análise dos dados, e como a Sauber é a única equipe da categoria a não possuir um simulador, Nasr e seu companheiro Marcus Ericsson tentam compensar o atraso de outras formas.

"Nós tentamos diferentes maneiras, tais como material de visualização e vídeos para tentar replicar as coisas na mente. Pelo menos teremos treinos livres para não ficarmos muito prejudicados”, acrescentou.

Mesmo assim, o piloto de Brasília reconhece que as informações obtidas a partir de testes no simulador são o melhor jeito de compensar o tempo de pista perdido. “E agora temos essas novas regras de largada com a embreagem, é algo que poderíamos testar.”

A escuderia suíça antecipou que teria problemas com os testes e tentou coletar informações no Grande Prêmio da Hungria, em julho, para construir algumas referências. “Será difícil ter o início perfeito sem toda a informação anterior, mas será a mesma coisa para todo mundo”, avaliou o brasileiro.

“Estamos atrás de consistência. Não precisar ser a melhor. É mais fácil errar do que fazer isso de modo perfeito, e se nós tivermos um padrão, será bom. Mas em um momento como esse, eu adoraria ter um simulador para testar essas coisas”, completou.

Felipe Nasr admitiu que um simulador seria útil para a adaptação às novas regras de largada (foto: AFP)
Felipe Nasr admitiu que um simulador seria útil para a adaptação às novas regras de largada da FIA (foto: AFP).

Deixe seu comentário