Isac pede dispensa da Seleção Brasileira para solucionar problema nas costas

São Paulo, SP

04/08/22 | 21:52

O central Isac anunciou nesta quinta-feira o pedido dispensa da Seleção Brasileira de vôlei para se dedicar ao tratamento de um problema na coluna, diagnosticado há alguns anos. O atleta de 31 anos tem sinais de degeneração discal com pequena protrusão.

Isac sentiu que teria de dar atenção total a essa condição médica agora, pois não haveria tempo de tratar antes de se apresentar para a temporada italiana 2022/2023, em seu clube, o Lube Civitanova. Assim, comunicou a decisão à comissão técnica do Brasil, que entendeu e concordou com os argumentos do atleta.

Isac sofre com o desconforto desde 2016, mas controlava o incômodo com fisioterapia. A Seleção está em Saquarema para um período de treinamentos com foco no Campeonato Mundial, que acontecerá entre os dias 26 de agosto e 11 de setembro, na Polônia e Eslovênia.

Conforme divulgado pela Confederação Brasileira de Vôlei, o central Léo será convocado pelo técnico Renan Dal Zotto para os treinamentos visando o Mundial.

Vice-campeão mundial em 2018, na Itália, o brasileiro fará uma série de avaliações detalhadas para definir os próximos passos do tratamento. O objetivo é adquirir as melhores condições físicas para se apresentar ao Lube Civitanova, em uma temporada que promete exigir muito fisicamente do jogador.

Isac assinou um contrato de duas temporadas com a equipe e realizará o grande sonho de disputar um dos campeonatos de mais alto nível no mundo. A expectativa do atleta é de estar 100% em condições já para a primeira partida da temporada de clubes.

Confira a nota oficial divulgada por Isac

"Foi com muita tristeza que tomei essa decisão, motivada exclusivamente pela minha dificuldade física. Queria muito vestir novamente a camisa da Seleção Brasileira e disputar mais um torneio de grande importância. Mas tenho de pensar na minha saúde. Acredito que foi o melhor para o meu futuro. Eu não conseguiria desempenhar o meu papel de forma adequada neste momento.

Tudo o que eu poderia entregar com a camisa da Seleção Brasileira eu fiz da melhor forma. No entanto, ao retornar aos treinamentos, eu senti que não estava 100%. Conversei com todo o departamento médico, com a comissão técnica e com o Renan (Dal Zotto), e expliquei que este é o momento ideal para eu me cuidar. Tenho minha carreira pela frente. Estou prestes a disputar minha primeira temporada na Itália. Eu assinei um contrato importante e tenho de cumpri-lo, Quero entregar o meu melhor, seja onde estiver.

Eu já tenho um problema nas costas que requer atenção. De uns meses para cá, as dores me incomodaram mais. Neste período pré-Mundial, precisamos estar 100% fisicamente, com a cabeça voltada a dar o melhor em um torneio tão importante. Vou me cuidar para estar 100% o mais rápido possível e, assim, voltar a fazer o que mais gosto, que é jogar voleibol".

Deixe seu comentário