Em dia de ventos fortes, Scheidt e Borges caem para 17º na Alemanha

São Paulo, SP

23-06-2017 20:13:29

Os velejadores Robert Scheidt e Gabriel Borges não conseguiram ter um bom desempenho nesta sexta-feira na Kieler Woche, a tradicional Semana de Vela de Kiel, na Alemanha. Sofrendo com fortes ventos, a dupla não repetiu os bons resultados conquistados anteriormente e caíram para 17º na classificação geral na disputa da classe 49er.

Gabriel Borges descreveu as dificuldades na prova, mas exaltou a possibilidade de aprendizado da dupla. "O vento estava bem forte, entre 20 a 25 nós, uma condição que ainda temos pouco tempo de treino. O lado positivo é que enfrentamos situações duríssimas e aprendemos muitas lições. Amanhã (sábado) a previsão é que o vento continue forte, ou seja, velejar será outro grande desafio. Mas, acima de tudo, está sendo um campeonato bom, pois vivenciamos situações as quais ainda não havíamos sido expostos", declarou o iatista.

Scheidt e Borges iniciaram o campeonato surpreendendo com a vitória na prova inicial. No segundo dia, os velejadores tiveram um desempenho regular e, nesta sexta-feira, encontraram dificuldades na flotilha de ouro. Nas quatro regatas do dia, a dupla teve um 26º, 15º, 36º (não completaram) e 25º lugares.

Robert Scheidt também aproveitou para analisar o desempenho nesta sexta-feira. “Nas duas primeiras regatas, velejamos razoavelmente bem, mas na terceira tivemos um problema. Viramos o barco, uma peça quebrou, e não conseguimos terminar. Consertamos para a última corrida, mas sofremos porque o vento aumentou mais ainda. Foram situações difíceis ao longo da disputa, com mais uma virada perto da linha de chegada. Foi um dia duro”, lamentou.

No total, Scheidt e Borges têm 96 pontos perdidos. Os líderes da disputa são os australianos David Gilmour e Joel Turner, com apenas 27. Outros brasileiros na disputa, Carlos Lorente e Marcos têm 91 pontos perdidos, estando uma posição a frente de seus compatriotas. A medal race da Semana de Vela de Kiel está programada para o domingo.

Deixe seu comentário