Falta de luz marca final do trampolim de 3m em evento-teste dos saltos ornamentais

São Paulo, SP

20-02-2016 21:50:06

A brasileira Ingrid Oliveira terá de esperar desistências para saber se estará nos Jogos Olímpicos do Rio

O evento-teste dos saltos ornamentais para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro deixou uma marca preocupante.  Pelo segundo dia seguido, o Parque Maria Lenk sofreu com falta de luz na disputa da Copa do Mundo da modalidade. Desta vez, o problema foi registrado na final feminina do trampolim de 3m sincronizado.

Sem energia, foram prejudicados o sistema de som e o placar das notas, assim foi utilizado um megafone para a informação da pontuação dos atletas. Os organizadores alegaram que o problema atingiu toda a região e não foi possível utilizar os geradores que estarão disponíveis nas Olimpíadas.

Na disputa, as brasileiras Juliana Veloso e Tammy Galera decepcionaram e, com erros graves, ficaram apenas na 12ª colocação. O vitória da competição ficou com as chinesas Tingmao Shi e Minxia Wu, atuais bicampeãs do mundo na prova.

Eliminatórias da plataforma feminina -  Duas brasileiras perderam a chance de garantir a vaga olímpica antecipada no último salto na disputa da Copa do Mundo. No final, Ingrid Oliveira terminou em 24º e Giovanna Pedroso em 27º, com 272,65 e 267,40 pontos, respectivamente.

Até a quarta e penúltima rodada, no entanto, Giovanna Pedroso e Ingrid Oliveira estavam na 15ª e 16ª posição, respectivamente, e portanto na semifinal da prova, que garante suas 18 atletas nos Jogos Olímpicos. Agora, a oportunidade pode vir após os países confirmarem seus postos, já que é muito comum abrir mão de vagas em provas individuais.

"Existem possibilidades se compararmos com os Jogos de Londres, em que foram somadas mais nove vagas após as 18 da Copa do Mundo, nesta mesma prova. Não está fácil, mas teremos que aguardar pois a decisão ficará mais pra frente. No dia 7 de março, vai ser falado o número de vagas inicial e depois os países vão confirmar quantas vagas ocuparão ou não, mas eles têm até o dia 16 de junho. Estas desistências são bem comum de acontecer nas provas individuais", disse Ricardo Moreira, coordenador de Saltos da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA).

No masculinos, os brasileiros Hugo Parisi e Jackson Rondinelli ficaram de fora da final da plataforma masculina sincronizada ao terminarem na 13ª posição, com 347,43 pontos. O erro foi no quinto e penúltimo salto, que rendeu 46,53 pontos, a menor pontuação da dupla na competição.

O melhor desempenho das seletivas coube aos alemães Patrick Hausding e Sascha Klein, com 433,50 pontos, pontuação maior do que a feita na final do Mundial de Kazan/2015, quando a dupla terminou na 6ª colocação, com 431,34. Já os atuais campeões mundiais, os chineses Aisen Chen e Yue Lin, ficaram em segundo nas eliminatórias, com 415,38. Em Kazan, eles marcaram 470,13 nas eliminatórias com a melhor performance. A final da prova está marcada para domingo.

Deixe seu comentário