Jogadoras da NBF contam rotina de treinos da quarentena

São Paulo , SP
02/04/2020 22:48:54

Em: Basquete, Bastidores, Mais Esportes

Em isolamento domiciliar faz um pouco mais de duas semanas por conta da pandemia do coronavírus, as atletas da LBF CAIXA (Liga de Basquete Feminino) relataram a adaptação aos treinos e como estão mantendo a forma em tempos de quarentena.

A comissão técnica e preparadores físicos dos clubes estão acompanhando as atletas à distância e fazendo um plano de treinos para que todas consigam manter a forma e não percam o contato com o esporte.

A armadora do Sesi Araraquara, Débora relatou que tenta manter a rotina de treinos nos mesmos horários que costumavam fazer na academia e na quadra. “Estou adaptando da melhor maneira, fazendo o máximo para manter a condição física principalmente. Os treinos que faço com bola, por exemplo, são dribles, passes e imitações de arremesso”, completou. 

Débora treina com bola em seu quintal. (Foto: Débora)

Em contrapartida, Alana diz já ter treinado em casa. A armadora conta que por ter feito treinos nessas circunstâncias em outros momentos de sua carreira, não foi difícil se adaptar à nova rotina. “Sigo treinando duas vezes ao dia e às vezes faço um terceiro treino para gastar um pouco mais de calorias”, completou a jogadora do Ituano Basquete. 

A armadora e destaque do Vera Cruz Campinas também contou um pouco da sua rotina com treinos em casa. Patty está fazendo treinos diariamente, tanto físicos quanto com bola. A jogadora da seleção brasileira ainda destacou: “A rotina tem sido bem diferente do dia a dia normal, mas nesse momento precisamos nos adaptar.”

Patty aproveita um dos móvel de sua casa para treinar. (Foto: Patty)

As redes sociais neste momento de isolamento estão sendo muito usadas para aproximar as pessoas. Com os atletas não está sendo diferente, o WhatsApp e aplicativos de vídeo fazem parte de suas rotinas, auxiliando nos treinos e entrosando o time.

“Lá (WhatsAPP) nós conversamos bastante, mandamos vídeos dos treinamentos em casa, trocamos experiências do que fazemos com o tempo livre e assim conseguimos matar um pouco da saudade”, comentou Débora.

Além da preocupação com a forma física, a saúde mental pode ser afetada neste período. Ariadna, ala-armadora do Santo André/Apaba, conta o que faz para ocupar a mente quando não está treinando. A maior cestinha da história da LBF CAIXA diz fazer os treinos de dia e as aulas online da faculdade na parte da noite.  

Alana optou pela meditação, yoga, pilates e livros para cuidar da sua mente. Cada uma se ocupando de uma forma, mas o que todas tem em comum é a saudade das quadras. As jogadoras relataram não verem a hora de voltar à rotina e aos jogos.

A LBF foi paralisada seis dias depois de seu início. O campeonato permanecerá suspenso ao menos até 30 de abril.

Ads – Rodapé Posts