Gazeta Esportiva |

Brasil admite “pane” em derrota, mas projeta reação no Rio 2016

Em Basquete, Olimpíadas 2016
Atualizado em 07/08/2016 - 21:54:36 Compartilhe
São Paulo , SP
O pivô Nenê lamentou a "pane" que o Brasil sofreu no segundo quarto na derrota para a Lituânia (Foto: Jim Young/AFP)
O pivô Nenê lamentou a “pane” que o Brasil sofreu no segundo quarto na derrota para a Lituânia (Foto: Jim Young/AFP)

O pivô da Seleção Brasileira masculina de basquete Nenê disse que a derrota para a Lituânia, por 82 a 76, neste domingo, na estreia dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, teve “gosto de vitória”. Isso porque o time da casa foi para o intervalo com uma desvantagem de 29 pontos no placar e conseguiu reagir na segunda etapa, mas não a tempo de reverter o marcador.

“Deu uma pane (no segundo quarto). Não é um torneio qualquer. São os Jogos Olímpicos no Rio. Como disse o Rubén (Magnano), foi uma derrota com gosto de vitória. É um aprendizado muito grande. Para atingir sucesso tem que errar. Não queríamos ter errado, mas erramos no tempo certo. É tratar com uma medicina mais forte para não machucar novamente”, avaliou Nenê ao canal Sportv.

O armador Leandrinho, por sua vez, exaltou a torcida presente na Arena Carioca 1. O brasileiro prometeu a mesma garra apresentada no segundo tempo da partida diante dos lituanos nos próximos confrontos do torneio olímpico.

“Nunca estive em uma situação tão boa e importante como o dia de hoje. Foi uma vitória ver como a torcida estava. Muitos aqui tiveram a primeira chance de jogar uma competição como essa pelo Brasil em casa. É uma oportunidade única. Com certeza, nós vamos fazer um bom trabalho e repetir isso do primeiro muito até o final do segundo tempo. Temos o jeito de torcer do futebol e estamos trazendo para o basquete. É gratificante ver isso. Dá mais vontade. Eles nos deram um empurrão maravilhoso”, assegurou Leandrinho.

Raulzinho Neto ecoou os pensamentos de seu companheiro e elogiou a atuação nacional na segunda metade da partida. “Não podemos buscar desculpas pelo primeiro tempo. Poderíamos falar que foi estreia, que estávamos um pouco nervosos, mas na verdade não sei o que aconteceu. O Brasil verdadeiro é o do segundo tempo, com um jogo forte de defesa. Se jogarmos assim, podemos vencer qualquer adversário. A torcida nos fez acreditar até o final e não ganhamos por detalhes”, analisou.

O Brasil buscará se recuperar no Grupo B do Rio 2016 neste terça-feira, a partir das 14h15 (de Brasília), quando enfrentará a Espanha.

Comente