Em casa, Juliana Campos segue focada na qualificação para as Olimpíadas de Tóquio

São Paulo, SP

03-06-2020 16:09:46

Apontada como sucessora natural de Fabiana Murer na prova de salto com vara feminino, Juliana Campos não perde seu foco mesmo em tempos de pandemia. A atleta de 23 anos espera garantir sua qualificação para as Olimpíadas de Tóquio, adiada para 2021.

“O maior objetivo é garantir participação na Olimpíada. E para isso temos de ter tranquilidade. Acho que devemos voltar aos treinos normais em breve, no máximo em agosto ou setembro, e aí terei bastante tempo de preparação para a temporada do ano que vem”, comentou Juliana. 

Foto: Wagner Carmo/CBAt

Em uma live realizada recentemente pelo instagram da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), Fabiana Murer, recordista sul-americana e campeã mundial ao ar livre em Daegu-2011 e indoor em Doha-2010, apontou Juliana como sua sucessora. “A Juliana é uma atleta que está bem e tem a segunda melhor marca do Brasil. Ela é nova, alta e pode saltar bem melhor e, quem sabe, quebrar o meu recorde”, disse.

Para buscar o índice olímpico da prova (4,70m) e garantir sua vaga nas Olimpíadas de Tóquio, Juliana continua treinando em casa devido a pandemia da covid-19. Sem espaço para atividades específicas do salto com vara em seu apartamento, a atleta tem a ajuda de vídeos para fazer exercícios aeróbicos, alongamento e ioga. “Mesmo mantendo o condicionamento físico, você perde muito na parte técnica. A gente costuma fazer bastante acrobacia e não tenho onde fazer”, completou.

Foto: Wagner Carmo/CBAt

Juliana terminou a temporada de 2019 em primeiro lugar no Ranking Brasileiro, com 4,37m, marca obtida no dia 13 de abril, em San Diego, Estados Unidos. Mesmo após sofrer um acidente durante os treinos em dezembro do ano passado, onde quebrou o nariz e precisou passar por uma cirurgia, a tricampeã brasileira obteve bons resultados no início deste ano.

Deixe seu comentário