Brasil domina Sul-Americano de atletismo e conquista 49 medalhas

São Paulo, SP

31-05-2021 21:26:50

A Seleção Brasileira de Atletismo conquistou 49 medalhas – 26 de ouro, 11 de prata e 12 de bronze – no 52º Campeonato Sul-Americano. A competição, realizada em Guayaquil, no Equador, terminou nesta segunda-feira.

O paulista Felipe Bardi dos Santos, campeão dos 100m, venceu também os 200m com 20s49 (1s9). Seu conterrâneo Lucas Conceição Vilar conquistou a medalha de prata com 20s62. Eles integraram, ainda, a equipe vencedora do revezamento 4x100m.

Felipe Bardi, ouro nos 100 e 200 m. (Foto: Divulgação/Wagner Carmo)

“Muito feliz com o ouro e a prata do Lucas. Conseguimos realizar tudo o que foi treinado. Quero agradecer a todos que nos ajudam. O importante é treinar bem, se alimentar bem, descansar e dormir para recuperar as energias”, afirmou Bardi.

Na prova feminina, a carioca Vitória Rosa, que já está qualificada para os Jogos de Tóquio, foi ouro nos 100m e venceu os 200m com 23s10 (0s8). A paulista Ana Carolina Azevedo terminou em terceiro lugar com 23s87, atrás da equatoriana Marizol Landazuri, que registrou 23s35. As brasileiras também ganharam o ouro no 4x100m.

Vitória Rosa, vencedora dos 100 e 200 m. (Foto: Divulgação/Wagner Carmo)

“O objetivo aqui era conquistar mais uma medalha e estou na minha preparação para os Jogos de Tóquio, com muito trabalho no dia a dia. Para Tóquio, temos de pensar em cada fase até chegar à final”, disse Vitória Rosa.

O paulista Altobeli Santos da Silva ganhou duas medalhas de ouro. A primeira nos 3.000metros, no domingo, com 8min34s17. A segunda foi conquistada nesta segunda-feira, quando venceu os 3.000m com obstáculos em um tempo de 8min34s17.

Altobeli Santos da Silva, que conquistou duas vezes o ouro. (Foto: Divulgação/Wagner Carmo)

O goiano Mahau Suguimati garantiu ouro nos 400m com barreiras com 51s25. No feminino, a carioca Chayenne Pereira conquistou a medalha de bronze com 57s58.

Nos 800m, o fluminense Thiago do Rosário André sagrou-se campeão com 1min45s62 – próximo ao tempo olímpico exigido de 1min45s20.

“Corri os 1.500m no sábado e as semifinais dos 800m no domingo. Senti um pouco, mas o objetivo era a medalha”, comentou Thiago, citando o cansaço. “Somei bons pontos para o ranking, tenho agora o Troféu Brasil e gostaria de agradecer a todos os meus apoiadores nesta fase difícil de pandemia”, completa.

O campeão Thiago André. (Foto: Divulgação/Wagner Carmo)

No feminino, a paranaense Flavia Maria de Lima, bronze no Pan-Americano de Toronto-2015, conquistou a medalha de prata com 2min05s00.

Erik Cardoso, Felipe Bardi, Derick Souza e Bruno Lins foram campeões do revezamento 4x100 metros masculino, completando a prova em 39s10. O mesmo ocorreu com a equipe feminina, composta por Vida Aurora Caetano, Ana Claudia Lemos, Ana Carolina Azevedo e Micaela Rosa, que venceu com 44s91.

No revezamento 4x400m, o time masculino, formado por Bruno Lins, Lucas Carvalho, Lucas Conceição Vilar e Pedro Burmann, garantiu o ouro com 3min04s25. Já o grupo feminino, com Tabata Carvalho, Flavia Maria de Lima, Maria Victoria de Sena e Chayenne Pereira, conquistou o bronze com 3min36s40.

No decatlo, o paulistano Felipe Vinicius dos Santos, qualificado para Tóquio, ficou com a medalha de prata ao fazer 7.960 pontos.

O paranaense Alexsandro Melo conquistou ouro no salto triplo, com 16,97m (1.7). No arremesso de peso, o maranhense Welington Silva Morais venceu a prova com 19,87m.

Welington Silva, campeão no arremesso de peso. (Foto: Divulgação/Wagner Carmo)

Deixe seu comentário