Acusado de racismo e homofobia, treinador dos Raiders pede demissão

AFP - São Paulo,SP

12-10-2021 08:16:56

O técnico John Gruden, dos Las Vegas Raiders, time de futebol americano da NFL, apresentou sua renúncia, após ser acusado de usar linguagem misógina, homofóbica e racista em mensagens, de acordo com informações publicadas por vários meios de comunicação americanos.

A NFL Network e a ESPN informaram que Gruden renunciou após uma reunião com o proprietário dos Raiders, Mark Davis, na segunda-feira, quando o técnico foi alvo de novas acusações.

John Gruden durante partida do último domingo, entre Las Vegas Raiders e Chicago Bears. (Foto: Jeff Bottari/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/Getty Images via AFP)

A decisão de Gruden chega depois de um período tumultuoso de 72 horas que começou na sexta-feira. Na ocasião, o Wall Street Journal revelou que o técnico havia usado uma metáfora racista para descrever o chefe do sindicato dos jogadores, DeMaurice Smith.

Na mensagem, Gruden afirmou que Smith tinha “lábios do tamanho de pneus Michelin”. A linguagem invoca imagens usadas durante muito tempo em caricaturas racistas.

Em uma declaração, a Liga de Futebol Americano (NFL) classificou a mensagem de “assustadora, lamentável e totalmente contrária aos valores” da NFL.

Em comentários à ESPN no fim de semana, Gruden afirmou que estava “envergonhado” da linguagem usada e insistiu não ter “uma gota de racismo” em seu caráter.

Mas, na segunda-feira à noite, o New York Times informou que teve acesso a diversos outros e-mails do técnico, nos quais Gruden usava insultos homofóbicos e misóginos e criticava o surgimento de árbitras no futebol americanos e a escolha no draft de um jogador homossexual.

Gruden venceu o Super Bowl XXXVII, em 2003, pelo Tampa Bay Buccaneers. (Foto: Ethan Miller/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/Getty Images via AFP)

Em outras mensagens, Gruden zombou dos jogadores que protestavam durante o hino nacional contra a violência policial nos Estados Unidos, pedindo que fossem demitidos.

Gruden também usou insultos homofóbicos para criticar o comissário da NFL, Roger Goodell, sobre seus esforços para tentar reduzir o número de concussões cerebrais no futebol americano.

O Times informou que os e-mails surgiram de uma investigação sobre má conduta no ambiente de trabalho que não envolvia diretamente Gruden.

As mensagens eletrônicas foram enviadas ao ex-presidente da equipe de futebol americano de Washington, Bruce Allen, quando Gruden trabalhava como comentarista para a ESPN. O técnico voltou a treinar os Raiders em 2018, após uma ausência de dez anos.

Deixe seu comentário