Futebol/Mercado

Vice de futebol confirma recusa por Jadson e busca de reforços no Grêmio

São Paulo , SP
30/01/2017 14:46:49

Em: Futebol, Grêmio, Mercado da bola

O Grêmio vem movimentando bastante seu elenco para a temporada de 2017. Com a saída do volante Walace, um dos destaques da equipe no último ano, a equipe agora busca bons jogadores para repor o setor defensivo. Procurando reforços de qualidade e não “de peso”, o vice-diretor de futebol Odorico Roman afirmou que o Tricolor gaúcho chegou, inclusive, a recusar o badalado meia Jadson, vinculado no Corinthians e no Atlético-MG.

“O Jadson foi oferecido ao Grêmio, mas os valores propostos ficaram muito acima do que a gente acredita. Nos valores propostos não existe nenhuma possibilidade dele vir. Não quero criar essa expectativa”, reforçou Odorico durante a coletiva de apresentação do lateral Bruno Cortez.

RS - FUTEBOL/TREINO GREMIO - ESPORTES - Jogadores do Gremio realizam treino fisico na preparação para o Campeonato Gaucho 2017. FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA
Cortez e Odorico durante a coletiva nesta segunda-feira (Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Sem detalhar os valores da negociação, Odorico também falou sobre a saída de Walace. “Ele tá na Alemanha fazendo exames médicos. Estamos olhando volantes e zagueiros também. A gente deve ter uma definição nos próximos dias sobre novas contratações para o grupo. O clube tinha 60% dos direitos do atleta e ele foi vendido por um valor significativo”, acrescentou.

“Temos que trazer jogadores bons, não caros, populares. Isso que estamos procurando. Esse valor vai servir para o Grêmio fazer alguns pagamentos. Temos salários, prêmios, alguns atrasos”, confessou o vice de futebol.

Sem pressa e afobação para a contratação de reforços, Odorico ressaltou nomes já presentes no elenco. “Dois anos atrás ninguém conhecia o Walace e agora ele foi vendido para a Europa por um valor que dificilmente você consegue em um volante. Temos jogadores muito bons no grupo, confiamos bastante no Jailson e no Michel e nomes da base. Nada impede que um jogador hoje reserva seja considerado um grande volante daqui dois anos”, completou.