Reunião não dá resultado e Cicinho fica longe do Corinthians

Tomás Rosolino - São Paulo , SP
26/05/2017 19:01:15

Em: Brasileiro Série A, Corinthians, Futebol
Presidente minimizou as chances da chegada de Cicinho (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Uma reunião realizada pelos empresários do lateral direito Cicinho e pelos dirigentes do Ludogorets-BUL afastou a possibilidade de o defensor ser emprestado ao Corinthians, algo considerado praticamente certo uma semana atrás. De acordo com o presidente Roberto de Andrade, os búlgaros não querem mais liberar o jogador nas condições propostas pelo Alvinegro e o deixaram longe do Parque São Jorge.

“Nem um pouco próximo, está difícil. O clube dele não está querendo liberá-lo, não estamos tão esperançosos quanto estávamos quanto a ele”, explicou o dirigente na tarde desta sexta-feira, no CT Joaquim Grava, demonstrando um pessimismo que pouco permeou as conversas sobre Cicinho desde o surgimento do interesse, há aproximadamente 20 dias.

O jogador, campeão búlgaro pelo time, esperava a disputa da Copa da Bulgária, na quarta-feira, para que seus representantes pudessem conversar e pedir sua liberação. A decisão aconteceu na última quarta-feira, com derrota do Ludogorets, e a conversa, na quinta, acabou não rendendo os frutos esperados.

Com contrato válido até o meio do ano que vem com os europeus, Cicinho teria de estender seu vínculo lá, a princípio por mais uma temporada, para ser emprestado ao Timão até junho de 2018. Nem as tratativas pela renovação nem as pela negociação com o Corinthians, porém, deram resultado.

À espera de novidades pelo atleta, Roberto ainda deixou claro que não há interesse em nomes como os meias Régis, do Bahia, e Nenê, do Vasco, vinculados ao clube recentemente. “Não foram nem oferecidos e também não temos interesse nos atletas, não. São notícias que surgem e, da mesma forma que surgem, também desaparecem pouco depois”, disse Roberto, justificando ainda as dívidas contraídas recentemente.

“Tivemos algumas penhoras por alguns processos antigos que culminaram agora. Isso forçou a gente a dispor de valores que não estavam no orçamento. Tem muitos casos de protestos em que a grande parte está paga, outros são discussão de fornecedores. São valores pequenos”, relatou, apontando a crise política brasileira como fator fundamental nas dificuldades.

“Temos de nos adequar a esse momento que estamos vivendo no Brasil, que está durando demais. Quando as coisas estão tomando uma posição positiva, vêm notícias como essas. Todo mundo fica num compasso de espera e fica esperando. Só que, no Corinthians, você não consegue de imediato fazer redução de despesas mandando gente embora, não resolveria”, concluiu o presidente.




  • airton

    PRIMEIRO CAMPEÃO MUNDIAL…

    REI DO BRASIL…

    MAIOR DAS AMÉRICAS…

    VERDE É A COR DA INVEJA…..

  • airton

    .PRIMEIRO CAMPEÃO MUNDIAL…

    REI DO BRASIL…

    MAIOR DAS AMÉRICAS…

    VERDE É A COR DA INVEJA….

    • Meu fax, minha vida

      Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, para di ficá mamando na nossa taça du pirassununga 51 ara… Ocê tá borracho i falano bestera kkkk. Inté us bambi tropelô nóis ara, eu sabia dia di sábadu é dia di fejoada i os bambi comero u nosso rabicó como diria u Pit B0sta. Nóis num tem i nunca vai tê mundiar kkkk. Vai guarani da capitar, a piada nacionar, há mai di cem anu SEM MUNDIAR. Eita nem a carça du seu Cuca diantô kkkkkkkk. Qui piada essi nosso parmerda SEM MUNDIAR

  • Meu fax, minha vida

    Kkkkkkk nóis du parmerda sem mundiar, num consegue ficá sem vir na página du único braselero Bi Mundiar, nóis qué a todo custo convencê qui nóis tem mundiar, mai pirassununga 51 num é mundiar, é pinga ara, nóis é frumiguinha, nóis num tem casa, nóis num tem denhero, tivemu qui vendê u nosso parmerda pra dona Leila i nossa casa é du Wartão. A tia Leila comprô um montão di pé di rato i nóis pensa qui samu grandi kkkkk. Vai guarani da capitar, a piada nacionar, há mai di cem anu SEM MUNDIAR

    • Dirce Britto Costa

      Ora vejam só! Até o grandioso SEV Hortolândia processa Corinthians, pois a dívida de Vílson ainda não foi paga. Também pudera, pois os curicas não pagam ninguém, nem mesmo os salários da manicure, atrasados desde novembro de 2014.

      O Small fez o pagamento de apenas 2 das 5 parcelas de R$ 100 mil cada pela aquisição do defensor. A dívida, que na origem era de R$ 300 mil, subiu para R$ 322 mil, fora os juros e correção monetária. Além das dívidas com outros times pelas aquisições de Kazim, Clayson e outros jogadores, o SEV Hortolândia também entrou na Justiça contra o gambá por dívidas na compra do zagueiro Vílson. O clube pelo qual o jogador estava registrado é de propriedade do empresário Marcus Sanchez. e, segundo a petição inicial do processo, os galinhas pagariam 5 parcelas de R$ 100 mil pela aquisição do defensor. Porém, depois de realizar apenas os dois primeiros pagamentos (duas irrisórias parcelas de 100,000,00 cada) em julho e agosto, o Alvinegro — acreditem — não acertou mais nenhuma parcela. A dívida, originalmente de R$ 300 mil, atualmente encontra-se em R$ 322 mil com os acessórios.

      • Meu fax, minha vida

        Vó Dirce, para di inveja véia cortecera, para di entrá na página du único brasilero BI MUNDIAR, eu sei qui devi di doe muito us cutuvelu, mai vamu fazê anssim, vamu cricá nu link SÉRIE B, e lê as notiça du nosso parmerda SEM MUNDIAR, mai é BI DA SIGUNDONA, eu aconseio a sinhora comprá Gelór pra passá nus cutuvelu, ou sinão í procurá um médico, opa médico não, no caso da sinhora deve di sê um paleontólogo né? Pra si tratá. Eu sei qui é duro sê pikininho e vim na página di timi grande, só pra vê comu é qui é. Mai assim qui a Crefisa fô denunciada pur agiotagi i caí fora nóis vorta pra sigundona, alembra quano a parmalata saiu? Nóis foi BI, é só isperá mai um poco i nóis vai sê TRI da sigundona, só num fomu antis prusque u Santus i u juiz Crefisão robô us Atrético Paranauê, mai nóis chega lá. VAI GUARANI DA CAPITAR, A PIADA NACIONAR, HÁ MAI DI CEM ANU SEM MUNDIAR