Presidente do STJD espera por duas denúncias contra árbitro do Fla-Flu

São Paulo, SP

14-10-2016 15:34:13

A polêmica envolvendo o clássico entre Fluminense e Flamengo, que terminou com vitória rubro-negra por 2 a 1 em Volta Redonda nesta quinta-feira, está longe de acabar. Nos próximos dias, o árbitro Sandro Meira Ricci poderá ser denunciado duas vezes no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

As denúncias têm caráter diferente. A primeira delas se refere ao fato de que Ricci omitiu sua responsabilidade na confusão após a anulação do gol de Henrique na súmula do jogo. Nela o árbitro relata que o duelo ficou paralisado por 10 minutos porque “os atletas de ambas as equipes protestaram contra a decisão da arbitragem em um lance de impedimento”.


“A questão do árbitro é prerrogativa da procuradoria, e que portanto não cabe ao pleno do tribunal dizer se ele vai ou não interpor um recurso. Ele pode propor e vai caber ao pleno do tribunal a decisão se houve omissão do árbitro em relação à súmula”, esclareceu o presidente do STJD, Ronaldo Botelho Piacente, em entrevista ao SporTV.

Foto: Reprodução
Súmula da partida pode ser alvo de denúncia a s(Foto: Reprodução)

A segunda denúncia seria colocada pelo próprio Fluminense, alegando que houve interferência externa na decisão de Sandro Meira Ricci de anular o gol, que empataria o jogo por 2 a 2. O presidente tricolor, Roberto Siemsen, confirmou que o clube deverá entrar com uma ação pedindo a impugnação do clássico. Segundo o presidente do STJD, porém, o caso é mais complexo, afinal, será necessário provar essa interferência de terceiros.

“Quando o pessoal vê na televisão aquele tumulto de atletas e técnicos, não é uma interferência de terceiros. A interferência de fora é quando uma pessoa estranha ao jogo convence o árbitro de futebol a mudar sua decisão. Temos que analisar primeiro se foi um erro de fato ou de direito. Segundo ponto, se houve a interferência de terceiros. E o outro ponto, a questão da moralidade, que é um dos princípios que regem nossa justiça, precisamos analisar todo esse conjunto de fatos e provas para analisar a questão”, disse Piacente.

O pedido do Fluminense, caso seja julgado e confirmada a irregularidade, poderá anular o resultado da partida e forçar a realização de um novo jogo. “O Fluminense, entrando com esse pedido, nós vamos analisar se vale ou não, se será feira uma nova partida ou mantido o resultado”, falou.

LEIA MAIS: Justiça Desportiva indica que anulação do Fla-Flu é improvável

No entanto, o mandatário do tribunal ressaltou que há um prazo para a realização da denúncia. Por isso, se for realizada de fato, ele a espera nos próximos dias. “Tudo há um prazo previsto no CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva), até para não se eternizar. O Fluminense deve, se tiver interesse, estar entrando com esse pedido entre hoje (sexta) ou segunda-feira (17)”.

Caso Barcos - O presidente do STJD relembrou que foi o relator do caso envolvendo o atacante Barcos, em 2012, quando atuava pelo Palmeiras e marcou um gol com a mão diante do Inter, no Beira-Rio, que acabou sendo anulado após minutos de discussão. “O caso do Barcos, eu fui o relator inclusive, aquele gol de mão. Disseram que houve interferência de uma repórter que estava fora do campo, mas não teve a prova, então não houve anulação”, lembrou Roberto Piacente.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

Deixe seu comentário