Rival do Santos na Libertadores faz festa para chegada de Adebayor

AFP - São Paulo , SP
14/02/2020 17:04:55 — 14/02/2020 17:05:26

Em: Futebol, Futebol Internacional, Libertadores, Notícias, Santos

Uma multidão de torcedores recebeu nesta sexta-feira o atacante togolês Emmanuel Adebayor, ex-Real Madrid e ex-Manchester City, entre outros, ao chegar ao aeroporto internacional de Assunção para se juntar ao Olimpia, bicampeão do futebol paraguaio, com vistas à sua participação na Copa Libertadores 2020 – o time será um dos rivais do Santos na etapa de grupos.

Aos cantos de “Manolito, Manolito”, como era chamado no Real Madrid, e “este é o seu povo Adebayor”, centenas de torcedores do Olympia receberam o jogador africano de 35 anos, que exibia uma bandeira do clube com a frase: “Estou aqui” e o número 25.

Este é o número da camisa que ele usará no time comandado pelo argentino Daniel Garnero, um a mais que seu ex-parceiro no Manchester, o artilheiro paraguaio Roque Santa Cruz, de 38 anos, que usa o número 24. “Chego para lutar pelo campeonato e pela Copa Libertadores”, disse Adebayor em mensagem em inglês.

Foto: Reprodução

O Olímpia faz parte do Grupo G da Libertadores, no qual terá como adversários o próprio Santos, o Defensa y Justicia da Argentina e o Delfín do Equador.  Além de Adebayor, cuja contratação se deve à grande amizade que tem com Santa Cruz, o Olimpia também garantiu a chegada do atacante Derlis González, ex-Santos e Dínamo de Kiev.  “Adebayor não vem a passeio”, garantiu o presidente do Olimpia, Marcos Trovato.

O representante do ídolo africano, Rodrigo Codas, disse que o jogador não fez nenhum pedido incomum. “Quando começamos a negociação, pensei que poderia exigir algum camelo ou algo do tipo. No entanto, ele pediu a coisa normal, o que qualquer jogador de elite pede, uma van para poder se deslocar, uma casa confortável em um bairro seguro e coisas assim”, disse Codas.

Miguel Brunote, tesoureiro do Olimpia, admitiu que Adebayor terá o melhor salário da história do futebol paraguaio.  Ele disse que o Olimpia disputou com o Boca Juniors para contar com o artilheiro.  Codas disse que a presença do togolês no Paraguai “teve um pouco a ver com o fato de o Olímpia ter sido o primeiro clube a procurá-lo, e nunca ter desistido”.

Foto: Reprodução