Vadão destaca momento do futebol feminino e espera colher frutos no futuro

São Paulo, SP

17-05-2019 08:00:02

 

Após a convocação da Seleção Brasileira feminina para a Copa do Mundo da França, na manhã desta quinta-feira, o técnico Vadão aproveitou para falar sobre o momento do futebol feminino no país especificamente, que vem crescendo não só dentro de campo, mas em infraestrutura dos clubes.

"Tecnicamente falando, melhorou demais. Mesmo muitos times que não têm condições de treinar, ganham pouco, têm que trabalhar, acontece uma goleada ou outra. Tem também times com regime profissional, outros ainda não, mas tecnicamente agora tem onde buscar, onde observar", observou em coletiva de imprensa.


O técnico da Seleção feminina acompanhou, por exemplo, a partida entre Palmeiras e Moreninhas (do Mato Grosso do Sul), na estreia das paulistas na A2 do Brasileirão, em março deste ano, quando a equipe da Barra Funda aplicou 8 a 0 - lembrando que o alviverde retornou com sua equipe feminina neste ano, muito por conta da obrigatoriedade imposta pela Conmebol em relação ao tema.

"O Palmeiras ganhou com facilidade, pois treina todo dia, e o adversário não. Tive oportunidade de analisar os atletas, amanhã podemos puxar e dar oportunidade em time melhor. Coisa que era muito difícil de fazer essa peneira, pois passavam poucos jogos pela televisão e não tem muitos clubes em atividade. A dificuldade para garimpar é muito grande. Hoje tem 36 times na série B, tem onde olhar os atletas".

Para o treinador, o importante era iniciar esse projeto de futebol feminino, mesmo que com dificuldades e problemas que são enfrentados e ainda virão a ser ultrapassados. "O início tem dificuldades, Portugal também passa por isso. Os outros países também estão sofrendo para implantar, mas o mais importante é que foi implantado e isso nos dá uma condição muito melhor", avaliou.

Marco Aurélio Cunha, coordenador da modalidade na CBF, fez coro às palavras de Vadão e ainda garantiu que, com esses novos investimentos, principalmente na base, os frutos serão colhidos no futuro.

"Com o número de times envolvidos, times de camisa com equipes femininas, a gente fica muito feliz. Diria que não houve tempo ainda para que a mudança de dois anos para cá refletisse positivamente nos resultados da Seleção. Mas, só de formar a base, o sub-20, o sub-17, ter comissões competentes... Tudo isso vai refletir provavelmente na próxima Copa. Temos jovens frutos do desenvolvimento, mas na próxima teremos mais, substituirão os grandes ídolos", finalizou.

A Seleção começa sua caminhada no Mundial no dia 9 de junho, diante da Jamaica. Vindo de nove derrotas seguidas em amistosos internacionais, as meninas, comandadas por Marta, Cristiane e Formiga, ainda terão pela frente Itália e Austrália.

Deixe seu comentário