Futebol Feminino

O futebol feminino brasileiro deu uma de Alemanha e goleou o Equador por 7 a 1 na segunda rodada da fase de grupos dos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Cristiane, responsável por cinco dos sete gols brasileiros, ficou aliviada por finalmente quebrar o jejum, além de ter dado à torcida brasileira o gostinho de vencer por esse placar. Na Copa do Mundo do Canadá, realizada no mês passado, a atacante encerrou sua participação no torneio sem balançar as redes. O Brasil foi eliminado nas oitavas de final pela Austrália.

Cristiane não marcou nenhum gol para a Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo de futebol feminino, em junho. Nesta quarta-feira, o incômodo jejum da atacante com a camisa do Brasil chegou ao fim. Cristiane marcou cinco gols no massacre brasileiro por 7 a 1 sobre o Equador, no Estádio Pan-Americano de Hamilton.

Após ver a Seleção Brasileira feminina vencer a Costa Rica por 3 a 0 na estreia no Pan-Americano de Toronto, o técnico Vadão volta com boas expectativas ao Hamilton Pan Am Soccer Stadium. Nesta quarta, às 18h35 (de Brasília), as meninas do Brasil vão a campo para enfrentar o Equador e tentar disparar na liderança do Grupo B.

Logo na estreia nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, o Brasil derrotou a Costa Rica pelo placar de 3 a 0. Raquel se mostrou uma substituta à altura de Marta e abriu o placar para a Seleção. Thaísa ampliou a vantagem, aproveitando uma sobra na área adversária, e Formiga decretou a vitória ao fazer o terceiro gol. O Brasil está no Grupo B da competição, ao lado de Costa Rica, Equador e Canadá.

O técnico da Seleção feminina de futebol, Vadão, já definiu o time que entrará em campo na estreia dos Jogos Pan-Americanos neste sábado, às 19 horas (de Brasília), diante da Costa Rica. Sem Marta, que se ausenta da equipe para retornar ao Rosengard, seu clube na Suécia, o treinador já anunciou que Raquel ocupará a vaga da camisa 10. O restante do elenco deve ser o mesmo utilizado na maior parte da Copa do Mundo.

A Seleção Brasileira Feminina de futebol visitou a Vila Olímpica nesta quarta-feira e conheceu um pouco mais da estrutura onde os atletas de 41 países irão se hospedar. As jogadoras brasileiras se animaram com a oportunidade de conhecer melhor toda a atmosfera dos Jogos Pan-Americanos e acreditam que essa visita pode servir como motivação para todas as atletas que buscam a medalha de ouro em Toronto.

Enquanto o futebol brasileiro feminino sofre para ganhar espaço no cenário nacional, as meninas dos Estados Unidos vivem uma realidade completamente diferente em seu país natal. Campeãs da última edição da Copa do Mundo, entraram para a história ao ter a final contra o Japão como o jogo mais visto do esporte em território norte-americano.

O gol que faltou na carreira de Pelé, do meio-campo, a norte-americana Carli Lloyd conseguiu na final da Copa do Mundo feminina, diante do Japão, no último sábado. Camisa 10 da seleção dos Estados Unidos, Lloyd foi o grande destaque da campanha das campeãs, marcando seis gols em sete partidas, além de três na decisão. Após o tricampeonato mundial, a jogadora não custou para encontrar palavras e descrever a emoção.

Quatro anos após a derrota para as japonesas na Copa do Mundo feminina, nos pênaltis, a Seleção dos Estados Unidos voltou a colocar as mãos no título de campeãs do torneio. Num jogo recheado de gols, as americanas venceram por 5 a 2, com quatro gols marcados apenas no primeiro tempo. Esse é o segundo título da seleção no campeonato, que não venciam desde 1999

Em reedição da final de 2011 da Copa do Mundo de futebol feminino, Estados Unidos e Japão decidem a competição neste domingo, às 20h (de Brasília), no Estádio BC Place em Vancouver, no Canadá. No último confronto, as equipes empataram em 2 a 2 no tempo regulamentar, mas as japonesas levaram a melhor nos pênaltis e ergueram o então inédito troféu.

Mais na web